Tardelli contacta CBF por vaga na seleção e aceita proposta chinesa

Oferta vinda da China, porém, tem de chegar ao valor pedido pelo Atlético para que o camisa 9 deixe a Cidade do Galo

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA E DEBORA COSTA |

Tardelli celebra gol marcado sobre o Cruzeiro, no último domingo
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Tardelli celebra gol marcado sobre o Cruzeiro, no último domingo

A saída de Diego Tardelli é iminente diante da proposta salarial irrecusável recebida pelo atacante vinda da China. Uma das perdas que o atacante poderia ter é ficar "escondido" no futebol chinês, longe dos holofotes da seleção brasileira. O avante, porém, revela que já entrou em contato com a CBF e está tranquilo com esta situação.

"Não me preocupo, já tive contato com alguém da seleção e isso me deixou mais tranquilo, com relação a uma possível transferência para o futebol chinês. Deixei a minha imagem na seleção, o Dunga é um cara muito consciente, e todos da seleção já me deixaram tranquilos em relação a isso", comentou Tardelli após o treino da manhã desta quinta-feira.

Apesar do interesse do Guangzhou Evergrande, o único clube chinês a fazer uma proposta oficial junto ao Atlético foi o Shandong Luneng, conhecido por ser o time comandado pelo técnico Cuca. O possível acréscimo de valor pedido pelo Galo poderia vir com a chegada na Cidade do Galo de um brasileiro que atua na equipe do ex-treinador alvinegro, fato confirmado pelo presidente Daniel Nepomuceno.

Depois de finalizar a temporada 2014 com uma entrevista em tom de despedida, Tadelli voltou a falar, neste início de pré-temporada, reiterando seu desejo de rumar para a China.

"Estou tranquilo, já manifestei a minha vontade, já passei para a diretoria. Claro que é uma proposta muito boa, que vai mudar a minha vida financeira, a vida da minha família. Muitos jogadores gostariam de estar no meu lugar. Se tiver que ir vai ser bom para mim, se tiver que ficar vai ser bom também. A proposta é muito boa, irrecusável, faz parte da vida de qualquer ser humano, uma pessoa que trabalha e tem aumento de salário. Já deixei clara a minha situação, tenho o maior carinho pela torcida, todos sabem disso", disse o camisa 9, relembrando os anos de conquistas em 2013 e 2014 com a manto alvinegro.

"Quando eu voltei do Catar, não achava que ia ganhar tantos títulos. Entrei para a história do clube, acredito que fiz o meu papel da melhor maneira, agora tenho que pensar em mim, no meu futuro, já estou com 30 anos. Essa proposta vai mudar a minha vida, da minha família, financeiramente. Venho conversando com a minha esposa, ela também se interessou em ir para lá, pelo mercado chinês, que pode interessar na área que ela trabalha, então temos que decidir", finalizou.

Leia tudo sobre: atleticogalotardellinepomucenoshandong lunengguangzhou evergrande