Agentes de saúde em greve fecham avenida Afonso Pena

Categoria se reuniu em assembleia e decidiu pela manutenção da greve; ato de protesto em frente a sede da Secretaria Municipal de Saúde está marcado para a próxima semana

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Cerca de 500 Agentes de Combate a Endemias (ACE) e Agentes Comunitários de Saúde (ACS), em greve há quatro dias, fecham a avenida Afonso Pena, em frente a prefeitura, no centro da capital, no sentido Mangabeiras, na manhã desta quinta-feira (8). A categoria pede pela equiparação salarial e elaboração de plano de carreira.

Conforme o sindicato, desde junho do ano passado foi sancionada a Lei Federal 12994/14, que estabelece um valor mínimo de R$ 1.014 mensais como vencimento base dos ACE/ACS. Atualmente o vencimento base inicial dos ACEs em Belo Horizonte está fixado em R$ 1.014, enquanto os ACSs da capital recebem R$ 795. 

Ainda, segundo o Sindibel, a PBH conta atualmente com cerca de 4.000 agentes comunitários de saúde e combate a endemias, distribuídos pelas nove regionais da capital.

A categoria se reuniu em assembleia nesta manhã e decidiu com unanimidade pela manutenção da greve. Além disso, estão agendados para próxima semana, um ato de protesto em frente a Secretaria Municipal de Saúde e uma nova assembleia.

De acordo com a assessoria de comunicação do Sindibel, não se posicionou oficialmente quanto à greve, mas sinalizou a possibilidade de uma reunião ainda nesta semana.

De acordo com a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), o trânsito está lento na região e está sendo feito o desvio pela rua da Bahia.

Leia tudo sobre: manifestaçãoagentes de saúdegreve