Minas perde para o Maringá-PR e desperdiça chance de voltar ao G-4

Equipe do Sul adotou estilo agressivo e, inspirada pela intensidade do treinador Horacio Dileo, volta para casa com três pontos na bagagem

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Se para o Minas Tênis Clube o confronto da noite desta quarta-feira contra o Ziober-Maringá-PR, dentro de casa, era a chance de voltar ao G-4, para o time paranaense o encontro era uma final.

Apenas dois pontos separavam o time do Sul, em sexto, do oitavo colocado, e uma derrota poderia colocar em risco a classificação para os playoffs.

Com espírito agressivo, contagiados pela intensidade do técnico Horacio Dileo, que voltava a enfrentar seu ex-time, os paranaenses não sentiram a falta de casa e incomodaram os mineiros, que caíram por 3 sets a 0 (25/23, 25/19 e 25/16).

O oposto Rivaldo, do Maringá, foi um dos responsáveis pela vitória. Ele saiu de quadra com o troféu de melhor da partida. Várias mudanças foram tentadas por Nery Tambeiro, técnico do Minas, sem muito sucesso.

“Algumas peças nossas estiveram abaixo. O Maringá impôs grandes dificuldades e não conseguimos sair desta situação. Nossa virada de bola não funcionou, foi o pior jogo nosso neste quesito. Quando isso acontece, complica. Chegamos empolgados para este jogo, pela boa campanha, mas o jogo era duro. O Ricardinho jogou muito, e o saque deles entrou a todo momento”, elogiou Nery.

Com o resultado, os paranaenses continuam na sexta posição, mas diminuem o risco de ficar de fora do grupo dos oito classificados.  Já o Minas continua na quinta posição e terá que correr atrás do Sesi-SP para voltar a figurar no G-4.

No primeiro set, tudo parecia a favor do Minas, que abriu 8 a 5, graças aos erros dos visitantes. Boa parte das falhas veio com o oposto Luan Weber, que tirou a paciência de Dileo. Ele logo colocou Rivaldo em quadra e o resultado foi instantâneo. A força física do oposto fez a diferença e ele comandou a reação da equipe sulista, que foi pra cima e mostrou volume de jogo e bom aproveitamento ofensivo.

O Maringá chegou a abrir 18 a 14 antes de ver o Minas incomodar na reta final. Mas a primeira parcial foi mesma do time do interior, que viu o levantador Ricardinho contribuir com boa distribuição de bolas.

No segundo set, foi a vez do Minas começar errando, fazendo o adversário gostar do jogo. O Maringá abriu 7 a 3 e 9 a 5, mas os donos da casa conseguiram diminuir a vantagem para um ponto.

A entrada de Tiago Vanole no lugar de Canuto, no Minas, surtiu pouco efeito. A recepção minastenista continuou falhando, e o time de Dileo fez 19 a 14, ficando perto do 2 a 0.  Antes do fim, outra mudança na entrada de rede do Minas, com Samuel saindo para o lugar de Willian, que de pouco adiantou.

No terceiro set, Nery Tambeiro tirou o oposto cubano Escobar, maior pontuador da Superliga. Franco entrou no seu lugar, e Tiago e Canuto fizeram a dupla de ponteiros. 

Sem conseguir encaixar o jogo, o Minas continuou com dificuldades e viu oponente abrir 11 a 5. Até uma troca no levantador foi tentada por Nery, colocando Felipe no lugar de Everaldo. Errando muito e sem jogar o suficiente e o que a torcida se acostumou a ver, o Minas sofreu uma derrota em sets diretos que não estava no script.

No sábado, o time mineiro encara o São Bernardo Vôlei-SP, lanterna da competição, com boa chance de se recuperar.

 

Leia tudo sobre: minasperdemaringasuperliga masculinacasa