Imprensa mundial condena ataque

Ataque contra a publicação satírica "Charlie Hebdo" que deixou 12 mortos e pelo menos quatro seriamente feridos

iG Minas Gerais | Folhapress |

REPRODUÇÃO/CHARLIE HEBDO
undefined

A Associação Mundial de Jornais (WAN-IFRA) e o Fórum Mundial de Editores condenam o ataque contra a publicação satírica "Charlie Hebdo" que deixou 12 mortos e pelo menos quatro seriamente feridos. "Nós condenamos da forma mais forte possível esta absurda atrocidade e nos colocamos ao lado do Charlie Hebdo e de toda a comunidade jornalística na França na busca de justiça para as vítimas", disse o CEO da WAN-IFRA, Vincent Peyrègne. "Com 61 jornalistas mortos em 2014 e o ano novo começando sob condições tão terríveis, nós observamos que um ataque desta natureza atinge o coração das liberdades que a imprensa da França defende tão apaixonadamente. Não é apenas um ataque contra a imprensa, mas também contra a sociedade e os valores pelos quais todos lutamos. Isto deve ser um alerta para todos nós nos impormos contra o crescente clima de ódio que ameaça fraturar nossa compreensão de democracia". De acordo com as primeiras informações, dois homens fortemente armados entraram nos escritórios da revista satírica baseada em Paris e abriram fogo. Tiros foram trocados entre os atacantes e a polícia, enquanto os dois homens conseguiam escapar. O presidente francês, François Hollande, confirmou que, entre os mortos, há jornalistas e policiais. O incidente foi oficialmente declarado como um ataque terrorista e a capital francesa permanece em estado de alerta, com policiais armados vigiando os prédios de veículos de comunicação no país. O ataque de hoje foi antecedido por um atentado com bomba incendiária em 2011 que destruiu a então sede do semanário. A revista seguiu em sua posição de sátiras críticas, apesar de ameaças subsequentes.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave