Taxa de ocupação em hostels já chega a 30% para o Carnaval

Expectativa do setor é que procura ainda cresça significativamente a partir do fim do mês

iG Minas Gerais | Aline Diniz |

Animação. Argentinos, franceses e outros estrangeiros já entraram no clima da folia no Rock! and Hostel
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Animação. Argentinos, franceses e outros estrangeiros já entraram no clima da folia no Rock! and Hostel

Som de batuques dos blocos de rua e das escolas de samba, procura por vagas em hostels (albergues), pousadas e hotéis. A pouco mais de um mês do Carnaval, esse é o cenário que se espera em cidades nas quais a festa atrai turistas de várias partes do país e do mundo. Diferentemente do que acontecia há alguns anos, Belo Horizonte passou a fazer parte desse circuito. Uma prova disso é uma taxa de reserva de 30% das vagas nas 27 pousadas e hostels pesquisados pela reportagem – as hospedagens, mais acessíveis, estão entre as mais procuradas durante o Carnaval. E a expectativa dos empresários é de aumento na procura a partir do fim do mês.

Conforme levantamento realizado por O TEMPO, das mil vagas disponíveis, 292 foram reservadas por interessados na festa – há pelo menos uma reserva em 80% das 27 hospedagens. A vendedora Cleisiane Soares Costa, 30, moradora de Formiga, no Centro-Oeste do Estado, já garantiu a vaga em um albergue de Santa Tereza, na região Leste da capital. “É o terceiro ano em que vou passar o Carnaval em Belo Horizonte. Vou com uma amiga e um pessoal de Divinópolis (também na região Centro-Oeste). Estamos animados e nesta semana vamos resolver o nome do nosso bloco”. Expectativa. Para a presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais (Abih-MG), Patrícia Coutinho, a expectativa é de aumento na procura no fim do mês. “As pessoas ainda estão pensando nas férias de janeiro. E os pacotes para os dias de folia serão comercializados por operadoras”, acrescentou Patrícia. O presidente da Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur), Mauro Werkema, afirma que as redes sociais contribuíram bastante para a revitalização da festa em Belo Horizonte. “Com a internet, em poucos minutos você mobiliza um grande número de pessoas. Além disso, há um sentimento do povo brasileiro de querer participar”, avalia. Ainda segundo ele, é a rua o principal atrativo da capital. “O Carnaval renasceu forte (em Belo Horizonte), e os blocos são muito expressivos”. Segundo Werkema, o número de blocos deve passar de 186, do ano passado, para 200 em 2015. O número de escolas deve subir de seis para oito. 

Esquenta Ensaios. Os ensaios dos blocos de rua já começaram e são abertos ao público. Neste fim de semana, já há eventos agendados. Cada regional da cidade tem pelo menos dois blocos. 

Maioria dos foliões que escolhem Belo Horizonte vem do litoral A presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais (Abih-MG), Patrícia Coutinho, afirma que a maioria dos foliões de outros Estado que escolhem Belo Horizonte para passar o Carnaval vem do litoral. “Eles querem provar nossa culinária e depois conhecer nossas cidades históricas”, considera. Ela não soube especificar os Estados de origem. Ainda segundo a presidente, ao longo dos últimos cinco anos, Belo Horizonte tem se tornado uma cidade mais atrativa para o turismo, com mais qualidade no teatro, museus e culinária. “Além disso, o crescimento no número de hotéis, hostels e pousadas proporciona mais opções de preços aos turistas”, completa. A gerente do hostel Santa Tereza, Cristie Gelmine Aguiar, espera um aumento na procura com relação à festa do ano passado. “Estamos bem animados e já planejando a decoração. A iniciativa da prefeitura de divulgar o Carnaval de bloco de rua aumentou a procura. Além disso, o Carnaval do bairro Santa Tereza é um dos mais famosos de Belo Horizonte e um dos mais procurados”.

Esquenta Ensaios. Os ensaios dos blocos de rua já começaram e são abertos ao público. Neste fim de semana, já há eventos agendados. Cada regional da cidade tem pelo menos dois blocos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave