Presidente santista fala em fim de 'farra' e gestão mais responsável

Modesto Roma Júnior declarou que clube vive uma das piores crises de sua história e precisa vender jogadores para equilibrar contas

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Modesto revelou preocupação em conseguir pagar os salários dos funcionários do clube em dia
Dennis Calçada/Santos FC
Modesto revelou preocupação em conseguir pagar os salários dos funcionários do clube em dia

O Santos inicia 2015 com uma divida reconhecida de R$ 120 milhões e com previsão de buscar receitas de R$ 47 milhões em venda de jogadores para terminar a temporada sem déficit. Os números foram revelados pelo presidente santista Modesto Roma Júnior, durante entrevista coletiva nesta terça-feira (6), na Vila Belmiro, em Santos. O cartola definiu a situação como "séria" e uma das "piores crises da história do clube". O mandatário explicou que o Santos teve déficit de R$ 60 milhões em 2014. Como antecipou R$ 60 milhões em receitas, ficou com déficit total de R$ 120 milhões para 2015. Roma Júnior também disse que outra dificuldade é que o orçamento deste ano prevê que o clube precisa somar R$ 47 milhões em venda de jogadores para não ter prejuízo. Além disso, previa o recebimento de R$ 6 milhões do Barcelona como bonificação caso Neymar fosse indicado entre os três candidatos ao prêmio de melhor do mundo da Fifa de 2014 -algo que não ocorreu. O Santos ainda deve dois meses de salários atrasados e o décimo-terceiro, além dos direitos de imagem de alguns jogadores. "A situação do clube é séria. Estamos premidos pela falta de dinheiro, muitas contas para pagar. Minha preocupação é com os 90 atletas e 300 funcionários do Santos. A situação é muito difícil e vamos investigar tudo para ter detalhes. Mas vamos superar essa crise", disse Roma Júnior. O cartola evitou criticar o antecessor, Odílio Rodrigues, mas falou da necessidade de gestão responsável. "Não existe mais espaço para a farra que foi até hoje. Temos de ter responsabilidade porque não mexemos com nosso dinheiro. Tudo é do clube. Vamos ter uma gestão responsável", disse o cartola. Roma Júnior prometeu divulgar para a imprensa até o final deste mês um relatório com a situação financeira do clube, assim que concluir auditória. FUTEBOL O Santos é o único entre os grandes do Estado de São Paulo que não fez contratações. Modesto Roma Júnior negou que o atacante Ricardo Oliveira e o meia Elano estejam na mira do Santos. Disse que a diretoria de futebol vai fazer poucas contratações, mas buscando qualidade. "Não existe bom e barato. Existe ruim barato e ruim caro. Vamos buscar jogadores bons para qualificar o elenco", disse. Um dos interesses do Santos é o meia Chiquinho, que estava no Fluminense. O time santista já perdeu oito jogadores: Leandro Damião, emprestado ao Cruzeiro, e, por fim de contrato, Giva, Jorge Eduardo, Matheus Índio, Vinicius Simon, Bruno Uvini, Rildo e Neto.

Leia tudo sobre: santospresidentemodesto roma juniorfinançasdividafuteboclube