Patrus diverge de Kátia Abreu e defende 'derrubar cerca de latifúndio

Novo ministro do Desenvolvimento Agrário fez discurso em defesa da reforma agrária contrapondo a fala da ministra da Agricultura

iG Minas Gerais | Folhapress |

undefined

O novo ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, defendeu nesta terça-feira (6) ao tomar posse no cargo "derrubar a cerca dos latifúndios" e a reforma agrária, entrando em confronto com declarações da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que afirmou não haver mais latifúndio no Brasil.

O ministro defendeu diversas vezes o respeito à função social das propriedades rurais, preceito constitucional segundo o qual, por exemplo, a propriedade não pode ser improdutiva.

"Ignorar ou negar a existência da desigualdades e da injustiça é uma forma de perpetuá-los. Não basta derrubar a cerca dos latifúndios, é preciso derrubar também as cercas que nos limitam a uma visão individualista e excludente do processo social", discursou Patrus.

"Oferecer e garantir oportunidade e crescimento a estas famílias na terra em que vivem é tornar concreto o conceito de função social da propriedade", disse o novo ministro.

Em entrevista à Folha de S.Paulo publicada na segunda (5), Kátia Abreu havia afirmado que não é preciso acelerar a reforma agrária no país e que "latifúndio não existe mais". Ela assumiu o Ministério da Agricultura sob críticas de índios e de trabalhadores sem-terra.

As declarações dos dois ministros já demonstram divergências explícitas entre as duas pastas da gestão Dilma Rousseff que cuidam da agricultura.

O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) avaliou positivamente as declarações do novo ministro. Alexandre Conceição, da coordenação nacional, considerou que a defesa da função social da terra por Patrus é uma sinalização de atenção à política da reforma agrária.

Ele também criticou a titular da Agricultura. "Kátia Abreu é latifundiária e desconhece a realidade do país", afirmou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave