Comandante da PM acusado de nazismo é exonerado no Rio

iG Minas Gerais |

RIO DE JANEIRO. O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, exonerou ontem o comandante do Batalhão de Choque, coronel Fabio de Souza. A decisão foi tomada após publicação de reportagem da revista “Veja”, que revelou trocas de mensagens via celular em que o coronel incentiva atos violentos de policiais contra manifestantes de rua, além de fazer menções ao regime nazista em tom de elogio.

Todas as mensagens foram incluídas em um inquérito instaurado pela Corregedoria Geral da PM. “Fiquei horrorizado com o que consta ali”, disse o secretário de Segurança, sobre o conteúdo das mensagens publicadas por Fabio de Souza em um grupo de usuários no aplicativo WhatsApp.

Ele afirmou que não tinha conhecimento dos diálogos publicados pela revista. A reportagem do semanário afirma, no entanto, que Fabio de Souza já havia sido afastado do comando do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em março de 2014, devido ao conteúdo destas mensagens.

Segundo a “Veja”, o então comandante geral da PM, coronel José Luís Castro, disse que comunicou Beltrame pessoalmente sobre o caso em março de 2014. No mesmo mês, Fabio de Souza foi exonerado e transferido para a escolta pessoal de Beltrame.

“Na última manifestação dei de AM 640 (lançador de bomba de gás não letal) nas costas de um black bobo no máximo 30 metros!!!”

Coronel Fabio de Souza - Comemorando atingir ativista nas costas

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave