Paquistão oferece recompensa de US$ 100 mil por líder talibã

O governo paquistanês preparou uma lista de 615 altos cargos insurgentes e a soma das recompensas por sua captura ou morte chegaria a 760 milhões de rúpias (7,5 milhões de dólares)

iG Minas Gerais | AFP |

O governo da conturbada província paquistanesa de Khyber-Pakhtunkhwa oferecerá uma recompensa de dez milhões de rúpias (cem mil dólares) a quem fornecer informação que leve à prisão ou à morte do principal líder talibã paquistanês, informou uma fonte local esta segunda-feira (5).

"O governo provincial fixou uma recompensa de dez milhões de rúpias em troca de qualquer informação que permita a detenção ou a execução do mulá Fazlullah, líder do Tehreek-e-Taliban Pakistan (TTP)", assegurou uma autoridade veterana local à AFP sob a condição de ter sua identidade preservada.

Segundo a mesma fonte, o governo paquistanês preparou uma lista de 615 altos cargos insurgentes e a soma das recompensas por sua captura ou morte chegaria a 760 milhões de rúpias (7,5 milhões de dólares).

O encarregado disse, ainda, que a lista também inclui Mengal Bagh, chefe do Lashkar-e-Islam, grupo ligado aos talibãs do distrito tribal de Khyber.

Mushtaq Ghani, ministro de Informação provincial, confirmou a recompensa, enquanto o Parlamento nacional adiou uma votação sobre uma lei para julgar em tribunais militares os casos de terrorismo, depois que o líder de um partido religioso se opôs ao conteúdo.

A mudança legislativa foi anunciada pelo premiê, Nawaz Sharif, após um ataque talibã mortal em um colégio de Peshawar, no qual morreram 150 pessoas, entre elas, 134 crianças.

Depois deste ataque também foi anulada a moratória sobre a pena de morte e as autoridades anunciaram a execução de 500 condenados nas próximas semanas.

A lei será apresentada e espera-se que seja aprovada no Parlamento esta terça-feira. Atualmente, os tribunais militares só processam casos relacionados com o exército.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave