Grêmio propõe volta do mata-mata no Brasileiro e tenta apoio de clubes

Presidente do Tricolor gaúcho quer promover mais emoção no campeonato e defende também a venda de bebidas nos estádios

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Após o encerramento da temporada 2014, os jogadores foram curtir férias, mas as diretorias dos clubes seguiram trabalhando firme e não apenas em busca de reforços. O presidente do Grêmio, por exemplo, tratou de ensaiar uma mobilização com outros cartolas para buscar mudanças no Campeonato Brasileiro, propondo a volta do mata-mata na competição.

O mandatário gremista Romildo Bolzan Júnior admitiu a postura do clube gaúcho em preferir que haja playoffs no principal campeonato do futebol brasileiro. Desde 2003, ele ocorre no sistema de pontos corridos, o que, curiosamente, ocasionou a hegemonia do eixo Rio-São Paulo, já que apenas Santos, Corinthians (duas vezes), São Paulo (três vezes), Flamengo e Fluminense (duas vezes) faturaram o título neste período. A exceção foi o Cruzeiro, que ergueu a taça em três ocasiões.

Se a disputa por pontos corridos privilegia o planejamento e a regularidade, além de dar um caráter decisivo a todas as rodadas, por outro, conforme defende Romildo, os confrontos diretos em mata-mata deixam o campeonato mais emocionante e evita entrega de jogos. Ele acredita que a mudança geraria mais possibilidade de faturamento aos clubes e favoreceria o equilíbrio técnico.

"Conversei com vários presidentes, fiz visitas para vários assuntos. O Grêmio defende a volta dos playoffs. É uma situação muito importante para dar equilíbrio técnico no campeonato, principalmente na parte final. Pode ser com quatro ou oito (clubes classificados). Poderia dar aos clubes uma situação melhor, renda, dinheiro, e equilíbrio técnico no fim da competição", disse.

Recentemente, na 36ª rodada, quando o Cruzeiro conquistou o título ao vencer o Goiás por 2 a 1, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin, discursou elogiando o time mineiro e defende a disputa por pontos corridos, deixando claro que não vê motivos para mudanças.

“A luta para evitar o rebaixamento é muito grande, não existe partida fácil. Há muito tempo que existe essa diferença de pontos entre o Cruzeiro e os demais, não é? Mas nem por isso houve um desinteresse pelo campeonato. Os que estavam mais distantes procuraram diminuir essa diferença. Não convém arriscar. Nunca se perdeu o interesse pelo campeonato. É bom para quem almeja o título e para quem procura evitar o rebaixamento”, disse, direto de Viñ del Mar, no Chile. A investida do Grêmio se alia ao pedido da Federação Baiana de Futebol, que no fim do ano passado solicitou a volta do mata-mata no Brasileirão. O Ticolor gaúcho foi campeão nacional em 1981 e 1996, quando a disputa era no formato proposto. Já os dois principais times da Bahia foram rebaixados à Série B na edição 2014.

Na hipótese da proposta ser acatada, a mudança ocorreria no mínimo em 2016, já que para este ano á há definições no que tange à disputa do Campeonato Brasileiro, tendo assegurada a disputa em pontos corridos.

Bebidas alcoólicas

Além disso, Romildo Bolzan Júnior propõe também a volta da venda de bebidas alcoólicas dentro dos estádios em dias de jogos. Desde 2008 que tal comércio está proibido. A pretensão é melhorar as arrecadações dos clubes juntos às empresas fornecedoras do produto que patrocinam equipes e torneios.

A proposição volta em meia é ventilada entre os clubes. Durante a disputa da Copa do Mundo, entre junho e julho do ano passado, torcedores gaúchos se uniram para defender a liberação de bebidas nos estádios, usando o Mundial como exemplo de que é possível dissociar a violência do consumo de cerveja e afins.  

Leia tudo sobre: gremioromildopresidenteclubesfutebolmata-matacampeonato brasileirobebida alcoolicacervejatorcidacbfmarin