Joaquim Levy assume Ministério da Fazenda

O novo ministro irá enfrentar um baixo crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), alta da inflação, déficit da balança comercial e descontrole das contas do Estado

iG Minas Gerais | da redação |

Ajustes.
 Joaquim Levy afirma que pacote de ajustes das contas públicas tem que ser “balanceado”
Antonio Cruz/Agência Brasil
Ajustes. Joaquim Levy afirma que pacote de ajustes das contas públicas tem que ser “balanceado”
Nesta segunda-feira (5), às 15h, Brasília, Joaquim Levy assumiu o Ministério da Fazenda no lugar de Guido Mantega. O novo ministro irá enfrentar um baixo crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), alta da inflação, déficit da balança comercial e descontrole das contas do Estado.   Levy anunciou que o objetivo, no momento, é estabelecer uma meta de superávit primário para o próximo triênio, visando controlar a queda da dívida pública. O novo ministro afirmou que qualquer medida tributária deverá estar de acordo com os gastos do governo. "Não podemos procurar atalhos e benefícios que impliquem em redução acentuada de tributação para alguns segmentos, por mais atraentes que elas sejam, sem considerar seus efeitos", disse.   Joaquim Levy mostrou otimismo e afirmou confiar plenamente na recuperação econômica do Brasil.  "Temos confiança neste momento porque talvez nunca antes na nossa história em períodos democráticos tivemos a maturidade de fazer correções bem antes que uma crise econômica se instalasse. A econômica brasileira tem bons fundamentos e estamos dispostos a implementar as medidas necessárias sem ingenuidade de medidas fáceis”, afirmou.   O ministro da Fazenda anunciou os nomes da sua equipe. O secretário-executivo do Ministério da Fazenda será Tarcisio Godoy. Para a Secretaria da Receita Federal foi escolhido Jorge Rachid. Já Marcelo Santilli Barbosa assumirá a Secretaria do Tesouro.   Para a Secretaria de Políticas Econômicas foi chamado Afonso Arinos Melo Franco Neto; para a Secretaria de Acompanhamento Econômico, Pablo Fonseca; parta a Secretaria de Assuntos Internacionais, Luis Balduíno; para a Procuradoria-Geral, Adriana Queiroz; e para a Coordenação de Assuntos Financeiros, Carlos Barreto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave