Intimista, mas rock n’ roll

Podé, do Tianastácia, grava primeiro DVD solo da carreira com canções inéditas e presença de Lan Lan e Samuel Rosa

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Solo. Em clima acústico, Podé promete manter a veia rock n’ roll na gravação de seu primeiro DVD
claro experiências/divulgação
Solo. Em clima acústico, Podé promete manter a veia rock n’ roll na gravação de seu primeiro DVD

Há mais ou menos 15 anos, o músico Podé, do Tianastácia, guarda uma infinidade de canções que não tinham muito a ver com a banda mineira e sequer foram gravadas em algum projeto solo. “Eu nunca tinha feito algo só meu, como os outros integrantes do Tianastácia, e senti que podia começar o ano assim. Tinha músicas que nem me lembrava mais gravadas no estúdio de casa”, diz o músico. Sem postergar mais uma vontade antiga, nesta segunda à noite Podé vai gravar o primeiro DVD solo da carreira, “Coisas da Alma”, em um show gratuito no Teatro II do Circuito Cultural Banco do Brasil (CCBB), a partir das 20h.

Quem espera assistir Podé revivendo clássicos do Tianastácia pode desistir. Em um repertório de cerca de 16 canções, 13 são autorais e inéditas. As outras canções complementares ficam por conta de releituras, como “Amor Destrambelhado”, de Belô Veloso e conhecida na interpretação de Cássia Eller, e “Nobre Vagabundo”, de Márcio Mello. O músico também promete passear por alguma versão de Caetano Veloso e uma bossa nova que ele prefere guardar como surpresa.

Entre as participações no DVD, Márcio Mello e Lan Lan, percussionista de Cássia Eller, três alunos do projeto Querubins, criado por ele há quase 20 anos ao lado da mãe, Magda Coutinho, e também Samuel Rosa, do Skank. “Com o Samuel eu vou gravar uma música inédita que vai ser inserida no DVD, porque ele não pode estar no show. Ainda vamos conversar e ver se componho algo novo ou aproveitamos alguma coisa dele”, adianta Podé.

Todo o show foi concebido em um formato acústico de voz e violão, sendo que Podé terá o reforço dos violonistas e amigos Leonardo Lachini e Marcelo Guerra. Apesar disso, ele garante que vai manter a veia rock n’ roll conhecida do Tianastácia. “Os arranjos ficaram bem rock n’ roll. O Léo, que guardou a maior parte das minhas músicas, ajudou a construir essa pegada para três violões junto com o Marcelo e está animado e intimista ao mesmo tempo. Era o que eu queria, por isso escolhi um teatro com capacidade para 130 pessoas apenas, tinha uma opção maior, mas eu não quis”, revela o músico.

Cenário. Em um formato bastante intimista, a ideia é que o público se sinta literalmente em casa. “É como se eu tivesse no sofá da minha sala tocando viola para pessoas que realmente queriam estar ali”, explica Podé. Por isso, o cenário será decorado com sofás para os músicos se apresentarem. Além disso, Podé vai revelar pela primeira vez sua veia de artes visuais. Paralelamente ao show, ele vai expor dezenas de desenhos feitos de próprio punho usando um aplicativo de celular. Todas as projeções serão feitas em um telão 3D por Daniel Ferretti, irmão do baterista do Skank, Haroldo Ferretti.

Para o futuro, Podé pretende levar o show a cidades como Rio de Janeiro e Salvador, incrementando a apresentação com canções de seu gosto pessoal, além de agradar aos fãs com algumas clássicas do Tianastácia. “É impossível não cantar Tianastácia nos shows, né? Porque só música inédita fica um pouco chato. Mas além disso vou tocar algumas coisas que gosto, como versões de Beatles”, diz o músico.

Além disso, Podé adianta que o Tianastácia prepara o lançamento de um DVD pela Deck Disc, sob a produção de Liminha, para comemorar 18 anos de carreira da banda. O material deverá ser gravado em março, ainda sem local definido e com previsão de lançamento em CD e DVD para o fim do ano. Além de hits como “Cabrobró” e “Itacaré”, haverá músicas inéditas, como “Nada Clichê”, da carreira solo de Podé.

Agenda

O que. Show de Podé – “Coisas da Alma”

ONDE. Teatro II do CCBB (Praça da Liberdade, 1127, Funcionários)

QUANDO. Nesta segunda, às 20h

QUANTO. Entrada gratuita com senhas distribuídas na bilheteria do teatro apenas uma hora antes do início do show

Podé

“Chamei pessoas que admiro como músicos e também que fazem parte da minha história e me inspiram, como o Samuel Rosa com suas letras e a Lan Lan com sua percussão forte”

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave