Peças colocadas no tabuleiro

Partidos buscam reestruturação e nomes para a disputa da Prefeitura de Belo Horizonte em 2016

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

O ano de 2015 marca o início de uma reestruturação interna dos partidos. Apurados os vencedores e perdedores das eleições, as siglas começam a peneirar e cacifar os nomes que poderão disputar o próximo pleito. Em Minas, a principal discussão é sobre quem serão os candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte.  

A eleição de 2016 promete ser a mais disputada da história recente da capital. O TEMPO entrevistou os cinco principais nomes que estão sendo ventilados nos bastidores. Luzia Ferreira (PPS), Gabriel Guimarães (PT), João Vítor Xavier (PSDB), Miguel Corrêa (PT) e Rodrigo de Castro (PSDB) dizem não se sentir confortáveis para falar como pré-candidatos, mas deixam claro que já pensaram em projetos para a cidade e que se veem com credenciais para brigar pela cadeira do prefeito Marcio Lacerda (PSB).

Ainda com dois anos de mandato, Lacerda já definiu como meta fazer o seu sucessor. Aliado do PSDB, ele pode apoiar um tucano ou lançar uma terceira via. Uma das figuras cotadas para disputar o campeonato correndo por fora do clássico de PT e PSDB é Luzia Ferreira, que não conseguiu chegar à Câmara Federal, mas é conhecida e fiel escudeira de Lacerda.

Para o PSDB, uma vitória é questão de honra. O partido venceu a disputa presidencial e estadual na cidade. Já os petistas acreditam que podem ter vantagem após as vitórias de Dilma Rousseff e Fernando Pimentel.

Independentemente dos selecionados, a conversa com os jogadores em pré-seleção deixa claro qual deve ser o perfil de quem sonha assumir o posto de Lacerda: uma figura que traga soluções modernas, que priorize a mobilidade e que aponte uma nova guinada na vocação da economia belo-horizontina.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave