Esgoto: das praias para as ruas

Na Praia do Morro, há uma manilha por onde deságua o fluxo pluvial. Lá pode haver despejo irregular de esgoto

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

As reformas feitas na Praia do Morro, uma das mais frequentadas, são criticadas por serem maquiagem. “Tiraram (o esgoto) da Praia do Morro e jogaram a céu aberto no bairro Santa Rosa. Todos os bairros da Rodosol sentido Setiba têm esgoto a céu aberto”, denuncia o mestre de obras Gilmar Silva, morador de Guarapari.

Na alta temporada, a cidade chega a uma população cerca de dez vezes maior que seus 102 mil habitantes. “A rede de esgoto não suporta a demanda, e começa a haver ligações clandestinas para a rede pluvial. Isso vai direto para o mar depois”, afirma o historiador José Amaral Fernandes Filho, nativo da cidade. O relatório mais recente da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh) do Espírito Santo mostra que todas as praias de Guarapari têm condições muito boas ou excelentes para o banho. “(Isso ocorre) muito em função da ausência de chuvas, que faz com que dejetos não sejam levados para as águas do mar”, explica Márcia d’Isep, agente de desenvolvimento ambiental e recursos hídricos da Agerh. Na Praia do Morro, há uma manilha por onde deságua o fluxo pluvial. Lá pode haver despejo irregular de esgoto. Mas, como a Agerh não possui um ponto de monitoramento próximo à manilha, não é possível determinar a qualidade da água ali. “No próximo contrato, previsto para março, haverá um novo ponto, mais próximo de lá”, diz Márcia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave