“A melhor parte de morar na rua é viver. Viver e aprender.”

Charles Patrocínio Morador de rua Relato da página BH Invisível

iG Minas Gerais |

“Sou mineirinho e atleticano. Estou com um bocado de idade, mas não gosto de falar quanto não. E 21 anos são de rua. Eu vim parar aqui porque eu buscava um sonho. De manhã eu ia para a escola e, de tarde, eu ia vender minhas balas na Augusto de Lima com a minha mãe. Ao longo da vida, perdi um irmão e uma irmã, o Ricardo e a Nina. A minha mãe ainda é viva e eu tenho quatro filhos. Eu ficava na porta da escola observando eles, mas sem coragem de chegar perto. Porque eu bebo, eu admito, eu bebo, mas nunca usei droga na minha vida. Uma vez, a Maria Estela, que tem 4 anos, me viu e deu um grito assim: “ô pai, você não está bêbado não, né pai?!” E agora tem mais ou menos uns cinco meses que eu não volto. Não tenho coragem de enfrentar essa luta com eles não. E dói meu coração por causa disso. E eu vivo na rua por causa dessas diferenças. A pior parte de morar na rua é a chuva. E a melhor parte é viver. Viver e aprender!”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave