Verão requentado em 2015

Emissoras revisitam ideias e investem em programas enlatados ao montar suas programações do começo do ano

iG Minas Gerais | Geraldo Bessa |

undefined

Depois de um fim de ano de baixo investimento em ideias e formatos, as emissoras sinalizam que o panorama de lançamentos e propostas para a programação de verão será um pouco mais animador. Mas só um pouco. Há alguns anos, os meses de janeiro, fevereiro e março se tornaram uma boa plataforma de experimentações, ou vistos como uma chance ideal para dar uma cara mais praiana aos programas que já estão nas grades. No entanto, séries enlatadas, realities já desgastados e breves visitas ao passado dão o tom da estação mais quente do ano na TV aberta.

Quem sai na frente é a Globo, que comemora 50 anos em 2015 e pretende lançar programas que dialoguem com a história e o futuro da emissora. Record, Band e SBT seguem mais tímidas em suas apostas. Logo na primeira terça de janeiro, dia 6, a Globo inicia a comemoração de suas cinco décadas com o projeto “Luz, Câmera, 50 Anos”. Se em anos passados a emissora reeditou longas recentes de sucesso para o formato de microssérie, ela agora adaptará suas minisséries de maior repercussão ao formato de telefilme. A produção de estreia será “O Canto da Sereia”, mas títulos como “O Pagador de Promessas”, “As Noivas de Copacabana” e “Anos Dourados” estão no cardápio. “É tradição abrir o ano com um grande projeto. Essa foi uma maneira de relembrar o que já fizemos com uma releitura de obras tão emblemáticas, dando a elas um formato totalmente novo”, conta Guel Arraes, diretor da dramaturgia semanal da Globo.

Seguindo por um caminho ainda mais fácil, SBT e Band decidiram não investir em programas para substituir os que entram de folga. As duas emissoras pretendem exibir séries americanas de sucesso enquanto programas como “CQC” e “Esse Artista Sou Eu” estiverem fora do ar. A partir da primeira semana de janeiro, a Band exibe episódios de “Glee”, “Sleepy Hollow”, “Salem”, “American Horror Story” e “The Walking Dead”. Enquanto o SBT leva ao ar a premiada “Hatfield & McCoys”, estrelada por Kevin Costner. “Tivemos o cuidado de escolher uma série especial para esse período do ano, um drama forte e extremamente bem feito”, valoriza Glen Valente, diretor comercial do canal. Com as férias do “Programa do Jô”, a Globo estreia a série de ficção científica “Under the Dome – Prisão Invisível”, baseada no livro homônimo do escritor Stephen King.

Já esperados nesta época do ano, os realities shows parecem manter seu domínio sobre a audiência. Novidade na grade do SBT, o “Águias da Cidade” mostra com tom de documentário a rotina da equipe do Grupamento de Radiopatrulha Aérea da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Idealizada pela Mixer, a produção foi exibida pelo canal pago Discovery Channel no ano passado. “É um programa vivo e só existe porque sempre está acontecendo algo de interessante na cidade de São Paulo”, conceitua o diretor Rodrigo Astiz. Enquanto isso, a partir do dia 20 de janeiro, a Globo estreia a 15ª temporada do “Big Brother Brasil”. E na mesma semana, Clayton Conservani e Carol Barcellos enfrentam cachoeiras congeladas, rios de lava, ultramaratonas, montanhas e cânions na nova temporada do “Planeta Extremo”, que volta ao ar como um programa independente do “Fantástico”.

Antes carro-chefe da Programação de verão da Globo, vide minisséries como “A Casa das Sete Mulheres” e “Um Só Coração”, a teledramaturgia reaparece na grade da emissora a partir de 26 de janeiro, com o lançamento de “Felizes para Sempre?”. O mote da série, no entanto, não chega a ser inédito. Escrita por Euclydes Marinho, a produção é uma releitura de “Quem Ama Não Mata”, minissérie exibida em 1982 e escrita pelo mesmo autor. A trama mostra os dilemas morais que permeiam a vida de cinco casais, interpretados por nomes como Adriana Esteves, Cássia Kis Magro, Enrique Diaz, Maria Fernanda Cândido e João Miguel. Ainda na área da teledramaturgia, a partir da segunda quinzena de janeiro a Record pretende exibir a tão adiada nova temporada de “Milagres de Jesus”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave