Grandes partes do avião da AirAsia são encontradas no mar de Java

Pedaços da fuselagem estão a cerca de 30 metros de profundidade, e submarino vai até o local para checar; 30 corpos foram resgatados

iG Minas Gerais | AFP |

Navio da Indonésia ajuda nas buscas, mas mau tempo prejudica trabalhos
ADEK BERRY / POOL / AFP
Navio da Indonésia ajuda nas buscas, mas mau tempo prejudica trabalhos

Duas "grandes partes" do avião da AirAsia que caiu no último domingo no mar de Java, na Indonésia, com 162 pessoas a bordo, foram encontradas, informou neste sábado (3) o chefe da agência nacional de buscas da Indonésia, Bambang Soelistyo.

No sétimo dia de operações feitas pela Indonésia com a ajuda de vários outros países, foram recuperados destroços significativos da aeronave, assim como 30 corpos de vítimas entre as 162 pessoas que viajavam a bordo do Airbus A320-200 (voo QZ8501).

"Com a descoberta de uma mancha de combustível e duas grandes partes do avião, posso garantir que são da aeronave da AirAsia que procuramos", disse Soelistyo durante uma coletiva de imprensa em Jacarta.

Segundo Soelistyo, a maior parte encontrada mede de 10 metros por 5 metros, e a outra, 7 metros por 0,5 metro.

"Enquanto eu falo com vocês, um ROV (veículo submarino por controle remoto) está imergindo para obter imagens reais dos objetos detectados no fundo do mar. Eles se encontram a uma profundidade de aproximadamente 30 metros", completou.

Um porta-voz do ministério dos Transportes indonésio afirmou neste sábado em um comunicado que a AirAsia não contava com a autorização para voar no corredor Surabaya-Cingapura no domingo, e que não solicitou a mudança no plano de voo.

"O Airbus voou no corredor aéreo em um horário em que a companhia não tinha autorização", declarou o diretor-geral de transportes aéreos, Djoko Murjatmodjo. "Infrigiu a permissão de voo dado, o horário autorizado, e isso é um problema", explicou.

O piloto do avião da AirAsia pediu para ganhar altitude na tentativa de evitar as tempestades, mas não recebeu imediatamente a autorização por causa do intenso tráfego aéreo que havia no momento. Pouco depois, a aeronave desapareceu do radar.  

Clima complica as buscas

O Airbus A320-200 que caiu no mar era explorado pela companhia AirAsia Indonesia, filial da companhia da Malásia AirAsia, elevando, assim, para três o número de acidentes fatais para a aviação malaia em 2014, após a queda de outros dois aviões da companhia Malaysia Airlines (voos MH370 e MH17). 

Soelistyo informou que uma forte corrente marinha dificulta, no momento, o trabalho do veículo  submarino automático. O mau tempo registrado nos últimos dias tem atrapalhado a busca dos corpos e da fuselagem do Airbus A320-200, que desapareceu das telas de radar e caiu no mar durante uma tempestade.

As autoridades, contudo, enviaram mergulhadores para onde foram encontrados os destroços e tentarão encontrar mais corpos. 

"Neste sábado, a principal tarefa é encontrar e retirar (os corpos) das vítimas", disse Soelistyo.

Até agora, foram recuperados 30 corpos. As tarefas de busca contam 29 barcos e 17 aviões.

A Rússia enviou dezenas de mergulhadores para participar das buscas, assim como dois aviões, um deles anfíbio, detalhou Soelistyo.

Os familiares das vítimas se preparavam neste sábado para novos enterros em Surabaya, de onde partiu o avião. Nessa cidade foi instalado um centro de crise para a identificação dos corpos.