Agora oposição, PSDB não vai aprovar reforma administrativa

Já o deputado Sargento Rodrigues (PDT) entende que o PT e o PMDB, que antes eram oposição, vão ter que conviver com a obstrução que praticavam

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |


João Leite afirmou que a proposta de fazer a reforma é contraditória
LEO FONTES / O TEMPO
João Leite afirmou que a proposta de fazer a reforma é contraditória

A reforma administrativa de Fernando Pimentel (PT), que vai chegar à Assembleia Legislativa de Minas (ALMG) na próxima terça-feira, vai enfrentar obstrução por parte da nova oposição. O PSDB entende que as medidas propostas pela reforma são contraditórias, já que cria três e extingue duas pastas ao mesmo tempo em que o Executivo petista admite a possibilidade de atrasar salários dos servidores estaduais em janeiro.  

O deputado estadual João Leite (PSDB) enfatiza que a oposição não vai aceitar os termos da reforma administrativa. “O novo governo diz que não tem dinheiro para pagar salários, mas quer criar mais secretarias e órgãos. Isso me parece bem contraditório. Não vamos votar essa reforma”, critica o parlamentar.

Já o deputado Sargento Rodrigues (PDT) entende que o PT e o PMDB, que antes eram oposição, vão ter que conviver com a obstrução que praticavam. “Não tem nenhum acordo para votar nada na Assembleia. O PT e o PMDB fizeram uma obstrução antipática, e não aprovamos o Orçamento de 2015. Criaram um clima de animosidade sem necessidade”, garantiu Rodrigues ao se referir à peça orçamentária para este ano, que ainda não foi aprovada.

Na terça-feira, o projeto de reforma será recebido e lido na Assembleia. A sessão não deve ter a presença do novo bloco de oposição da Casa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave