Novo governo fala em ‘esforços’ para conseguir pagar salários

Nessa quinta secretário admitiu déficit no caixa; equipe se reuniu com governador Fernando Pimentel

iG Minas Gerais | Denise Motta |

Trabalho. 


Fernando Pimentel se reuniu ontem com todo o primeiro escalão na Cidade Administrativa
RICARDO MALLACO / O TEMPO
Trabalho. Fernando Pimentel se reuniu ontem com todo o primeiro escalão na Cidade Administrativa

O governo de Minas Gerais admitiu nesta sexta ter dificuldades e estar fazendo “todos os esforços” para pagar os salários de dezembro dos servidores do Estado na próxima semana, como previsto. Como mostrou O TEMPO nesta sexta, o novo secretário de Planejamento, Helvécio Magalhães, disse que o caixa da gestão estadual tem, neste momento, R$ 700 milhões, e para, arcar com a folha de pagamento deste mês, seriam necessários, pelo menos, R$ 2 bilhões.

“A propósito do pagamento dos salários dos servidores públicos do Estado, as secretarias de Fazenda e de Planejamento e Gestão estão realizando todos os esforços para que o depósito seja realizado na data prevista”, informou o governo por meio de nota. A reportagem procurou a assessoria da atual gestão para saber se a informação de Magalhães estava, portanto, sendo confirmada pela nota, mas a resposta que obteve foi a de que dependeria da “interpretação” que seria dada ao texto. A administração anterior se manifestou e garantiu que os recursos para o pagamento dos salários dos funcionários estão garantidos. “A atual gestão conta com recursos no valor de R$ 3,98 bilhões, sendo R$ 2.236.170.926,03 de livre utilização, valor suficiente para quitar a folha do funcionalismo de dezembro, a ser paga em janeiro, no quinto dia útil, como tradicionalmente foi feito desde de 2003”, diz a nota. Encontro. A primeira reunião do governador Fernando Pimentel (PT) com o secretariado realizada nesta sexta na Cidade Administrativa foi em clima de mistério. Durante aproximadamente duas horas, secretários e dirigentes de autarquias ouviram diretrizes do petista, e todos foram orientados a não dar declarações para jornalistas sobre o teor da reunião. Um secretário afirmou que Pimentel expôs de forma objetiva a situação do Estado, mas as informações, por enquanto, são muito preliminares. A linha do novo governador é de enfrentar problemas, “arrumar a casa”. Outro secretário disse que a intenção do encontro foi esboçar a dimensão do desafio de colocar o Estado em ordem. “A reunião foi muito objetiva”, completou um integrante do primeiro escalão. “Foi um primeiro momento para ajustar as linhas básicas do governo”, limitou-se a dizer um secretário. Repórteres, fotógrafos e cinegrafistas foram convidados a se retirar do quarto andar do Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, para não abordarem os participantes da reunião, que deixaram o local às 13h.

Novos nomes Nomeações. Depois de divulgar a lista de secretários e chefes de autarquias e empresas públicas do Estado em sua gestão, o governador Fernando Pimentel divulgou nesta sexta novos nomes de sua equipe. Subsecretário de Comunicação Social. Ronald Freitas Advogado Geral do Estado. Onofre Alves Batista Júnior Comandante geral da Polícia Militar. Coronel Marco Antônio Badaró Bianchini Comandante geral do Corpo de Bombeiros. Coronel Luiz Henrique Gualberto Moreira Chefe do Estado-Maior da Polícia Militar. Coronel Marco Antônio Bicalho Chefe do Gabinete Militar do Governador. Coronel Helbert Figueiró 

Nota A nota do antigo governo informando que o caixa é suficiente para arcar com a folha de pagamento dos servidores do Executivo foi assinada pela ex-secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, e pelo ex-secretário de Estado da Fazenda, Leonardo Colombini.

Balanço O coordenador do governo na bancada federal, deputado Gabriel Guimarães, participou da reunião. Em nota, a atual gestão informou que o governador apresentou as diretrizes para os próximos 90 dias. “Neste período será feito o balanço da atual situação do Estado.” 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave