Ao recém-chegado

iG Minas Gerais |

Seja bem-vindo, novato. Confesso que é um imenso prazer recebê-lo. Você ainda não sabe, mas é a esperança para muita gente espalhada mundo afora. Depois que inventaram a divisão do tempo, é assim que funciona. Sua chegada renova sonhos, alimenta emoções, reaviva suspiros, reativa fôlego. Por favor, não se assuste. Sei que, num primeiro momento, é muita responsabilidade para quem acaba de nascer. Mas, depois, as pessoas se acostumam e percebem que a culpa das coisas boas e ruins não é apenas sua. Com o tempo, os “meros mortais” descobrem que têm um toque do destino, da sorte, das escolhas, das expectativas e, principalmente, das próprias ações. É que o homem precisa de tempo. Você vai ver, irá nos conhecer rapidamente. Por ora, novato, venha em paz. E esteja consciente de que, para muitos, você é o salvador. Determinante a ponto de fazer com que se esqueçam das dores e pancadas deixadas por 2014. Logo de cara, também irá verificar o quanto somos divergentes. É que outros tantos irão pedir continuidade. Sim, vão querer que mantenha o pacote de bondades que seu irmão deixou antes de partir. Não se confunda diante de tanta pressão vinda de lados opostos. Seja o que é. Apenas flua, livre e leve. Traga as melhores energias, e aí, sim, decidiremos como usá-las. Você só está aqui há dois dias. É muito pouco. Não podemos exigir demais. Terá muito a aprender e também a nos ensinar. Alguns vão estranhá-lo, pois têm medo do desconhecido. Não se abale com isso. O novo pode até assustar no princípio, mas também é absolutamente adorável em suas descobertas. Basta não apostar tanto. As coisas não serão exatamente da forma que foram planejadas. Você irá nos mostrar isso, assim como fizeram seus antepassados. Nem sempre o que escolhemos é o melhor. Mudanças são bem-vindas. Não queria ser eu a te contar, mas as coisas por aqui andam bem complicadas. Há muita gente sem caráter. Gente má. É, novato, você verá de tudo. A violência anda mandando e desmandando. E as pessoas estão muito apegadas a bens materiais. Algumas esqueceram conceitos simples de amizade, amor, respeito, companheirismo... Enfim, há guerra, corrupção e tragédias. Muita coisa provocada pelo próprio homem. As pessoas pensam demais em longo prazo. Estão deprimidas, estressadas, ansiosas. E você, com seus dias lindos e doces, muitas vezes, pode passar despercebido. Terá que mostrar que o futuro não chega sem presente. Calma, 2015, nem tudo está perdido! Juro que sobrou muita gente de bem espalhada por aí. Seu papel será primordial. Confio nisso. Há gente que, como eu, ainda acredita. A esperança está na força da fé. A crença consiste em entender que podemos ser melhores, ser gratos... pelos momentos, pela vida, pelas pessoas com as quais convivemos. Sabe, jovem 2015: até o que parece ruim pode ser transformado. Basta que a gente aprenda. Antes de estreitarmos nossas relações, queria confessar que eu e 2014 vivemos dias delicados. Houve uma perda irreparável. Ela ainda dói hoje, mas é confortada pelas lembranças. Ocorreram também alguns fracassos. Com eles, veio o ensinamento de que, às vezes, é preciso recuar para seguir ainda mais forte. Seu irmão não partiu de mal de mim. Pelo contrário. Chegamos a nos reconciliar. Foi embora com o melhor dos meus sentimentos: a gratidão. Sou grata pelos abraços que recebi, pela família maravilhosa, pelos amigos, pelo amor. Acho que eu e você podemos construir um elo melhor e maior. E é por isso que te recebo de braços abertos e agradecida pela vida. Também te proponho amizade. Ainda não contei, mas seus dias correm rápido, principalmente depois que passa o Carnaval. Aí, então, o ritmo é acelerado. De repente, já é Natal de novo e você terá que ir. Por isso, quero me deliciar em seus minutos, abraçar seus momentos, ter prazer em estar contigo. Vamos seguir juntos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave