Mudança no seguro-desemprego gera economia de R$ 9 bi, diz ministro

O período de carência para pedir o benefício passa de seis meses trabalhados para 18 meses na 1ª solicitação e para 12 meses na 2ª solicitação. Fica mantido em seis meses na 3ª solicitação

iG Minas Gerais | Folhapress |

O ministro Manoel Dias (Trabalho e Emprego) disse nesta quinta-feira (1º) que o aumento do prazo para requerimento do seguro-desemprego deve responder por metade da economia projetada para 2015 com as novas regras para solicitação de benefícios trabalhistas e previdenciários.

As restrições impostas pelo governo -que incluem também abono salarial, pensão por morte, auxílio doença e seguro-defeso para pescadores- devem representar uma economia total de R$ 18 bilhões neste ano.

Para o seguro-desemprego, as novas regras valem para solicitações feitas a partir de março, prazo que o governo precisa para ajustar o sistema de pagamento.

O período de carência para pedir o benefício passa de seis meses trabalhados para 18 meses na 1ª solicitação e para 12 meses na 2ª solicitação. Fica mantido em seis meses na 3ª solicitação.

"Temos que zelar pelo Fundo [de Amparo ao Trabalhador] e a alta rotatividade [no mercado de trabalho] pode afetar o resultado. Essa é uma medida que tem de ser posta em prática", disse Manoel Dias.

O ministro esteve presente na cerimônia de posse da presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto.

Leia tudo sobre: seguro-desempregogovernopolíticadilmanaboel dias