Micale avalia de forma positiva o trabalho feito pelo Galinho

Treinador está confiante numa boa participação do time na Copa São Paulo e no aproveitamento de bons valores na equipe profissional neste ano

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

Treinador Rogério Micale deixa a equipe de juniores do Atlético e será substituído pelo ex-jogador Mauro
CRISTIANO TRAD - 24.9.2010
Treinador Rogério Micale deixa a equipe de juniores do Atlético e será substituído pelo ex-jogador Mauro

O Galinho fechou nesta quinta-feira a preparação na Cidade do Galo visando à disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Em ritmo forte há um mês em meio, os atletas comandados pelo técnico Rogério Micale se empenharam ao máximo, sem se importarem em trabalhar no último dia de 2014 e no primeiro de 2015. O foco é total na busca pelo tetracampeonato do time na competição.

Campeão nas edições de 1975, 1976 e 1983, o Atlético vem desenvolvendo um grande trabalho com o time júnior nas últimas temporadas. Prova disto são os vários jogadores da base utilizados no elenco profissional recentemente, como o zagueiro Jemerson, o meia Dodô e o avante Carlos, dentre outros, além do meia-atacante Bernard, vendido em 2013 ao Shakhtar Donetsk-UCR.

Grande parte do trabalho desempenhado na equipe júnior se deve a Rogério Micale e a comissão técnica, além, é claro, do empenho das jovens promessas. Neste ano, existe a expectativa de que novos talentos ganhem chance de treinarem na equipe principal, como ocorreu com o goleiro Rodolfo e o lateral-esquerdo Leonan, que irão participar desta edição da Copinha.

A delegação alvinegra viaja para São Paulo nesta sexta-feira. O time mineiro está no grupo T. Os compromissos na primeira fase serão contra Sete de Setembro-AL (domingo, às 11h), Sociedade Esportiva Unai-Itapuã-DF (quarta-feira, às 19h) e São Bernardo (dia 10, às 16h). Os duelos ocorrerão no estádio Baetão, em São Bernardo

Confira a entrevista feita pelo SuperFC com o treinador Rogério Micale

Qual o saldo da preparação para a Copa São Paulo? Estamos nos preparando há um mês e meio. Temos uma equipe nova, porque houve uma reformulação, devido ao aproveitamento grande dos jovens valores em 2014. Alguns jogadores que poderiam ir para a disputa da Copa São Paulo estão no time profissional. Mas o processo é este, então estou muito feliz. A Copa São Paulo não é uma competição que define as condições dos meninos. Faz parte de um processo evolutivo. Estamos satisfeitos com o que vemos no dia a dia. Esperamos que façam uma excelente competição.

Não poder contar com alguns atletas que subiram para o profissional pode até ser considerado positivo, já que o objetivo da base do clube é o de formar atletas de qualidade, certo? O produto final é que os meninos subam com qualidade, que não vão apenas para compor elenco, mas sim, para brigar por uma posição na equipe titular. E nestes últimos anos, conseguimos formar jogadores, o que pode gerar no futuro sustentabilidade ao clube. Tudo isto é bom em termos financeiros e o clube se estrutura melhor. Queremos ser campeões sempre das competições na base. Mas não só o titulo é importante. Ser campeão é sinal de que jogamos o máximo possível de partidas importantes, que ajudam a moldar o jogador. Eles passam por várias situações que irão vivenciar também no time principal. Estamos felizes com tudo que acontece no Atlético.

Os garotos não tiveram refresco e treinaram até mesmo no dia 31 de dezembro e 1º janeiro. A gente sabe que muitas vezes, é uma profissão sacrificial. E o nosso trabalho exige isso. A gente acaba estando em campo em datas comemorativas. A gente acaba se acostumando. E eles tem ciência disto.

Como você avalia esta primeira fase para o Atlético? A primeira fase é sempre difícil, porque uma derrota praticamente elimina uma equipe. São três jogos e uma derrota complica. A não ser que sejamos o primeiro do grupo mesmo, mesmo com uma derrota. É um torneio muito difícil, todos estão muito concentrados. Apesar das dificuldades e de não ter tanta informação dos adversários, estamos muito focados. Acreditamos que a preparação foi bem feita e temos tudo para passar de fase e fazer uma boa campanha.

Os atletas tem a ciência de se dedicar ainda mais, haja visto que o Atlético aproveita muitos valores da base no time principal, como ocorreu nos últimos anos? Nosso trabalho é voltado pra isso, a conscientização permanente. Ela é feita para que eles (garotos da base) sejam alçados à equipe principal e, quando chegaram lá, estarem totalmente preparados. A concorrência é muito forte. O Carlos foi artilheiro nosso na Copa São Paulo passada e foi bem no profissional. No time principal tem também o Alex Silva, o Uilson, Eduardo, Dodô e hoje todos estão efetivados no time principal.

Como é o trabalho com o Levir Culpi? “O Levir é um cara muito bacana, dá muita abertura pra gente, conversa muito com a gente, faz coletivos com o time júnior. Ele sabe do trabalho que está sendo feito aqui, tem confiança e sabe que pode contar com esses meninos. E sabe que os meninos vão corresponder. O trabalho está sendo bem feito e os frutos estão aí, com títulos e muitos jogadores da casa jogando no time profissional.

Leia tudo sobre: AtleticoGaloRogerio Micale