'Máximos esforços' para encontrar vítimas de voo da AirAsia

Sete cadáveres foram recuperados desde o início das operações de busca do Airbus A320-200 da companhia aérea malaia

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

As equipes de salvamento realizavam nesta quinta-feira na Indonésia intensos esforços para encontrar os ocupantes do avião da AirAsia que caiu no mar de Java, à espera que especialistas internacionais se unam às tarefas para localizar a fuselagem.

"Estamos fazendo os máximos esforços para buscar os corpos e encontrar a fuselagem", declarou à AFP um funcionário indonésio das operações de busca e resgate, Sunarbowo Sandi.

Desde o início das operações de busca do Airbus A320-200 da companhia aérea malaia, desaparecido no domingo com 162 pessoas a bordo pouco depois de decolar na cidade indonésia de Surabaya em direção a Cingapura, sete cadáveres foram recuperados.

Dois corpos - de um homem e de uma mulher - já foram identificados e serão entregues as suas famílias após a confirmação formal nesta quinta-feira, indicou a polícia indonésia.

Mas o tempo, que começou bom nesta quinta-feira, piorou nas horas seguintes, com fortes chuvas que impediram os helicópteros de decolar. Os barcos, no entanto, prosseguiram com as buscas, indicou outro funcionário, S.B. Supriyadi.

Aos investigadores indonésios especializados na segurança dos transportes se unirão especialistas estrangeiros para tentar localizar a fuselagem da aeronave e recuperar as caixas-pretas, essenciais para determinar as causas da catástrofe.

"Dez investigadores do Comitê Nacional de Segurança dos Transportes (KNKT), assim como dois franceses e outros dois de Cingapura, se integrarão às buscas hoje (quinta-feira) para localizar a fuselagem", disse Sandi.

"Esperamos que uma baliza submarina possa detectar um sinal fraco emitido pelo ELT (transmissor de localização de urgência", acrescentou.

Este transmissor envia sinais que ajudam a localizar um avião em caso de acidente.

Quatro novos corpos chegam a Surabaya

Dezenas de mergulhadores encontram-se na zona, prontos para mergulhar quando a fuselagem for localizada, afirmou Sandi.

"O mais importante é encontrar a parte principal (do avião) e no interior devemos encontrar as caixas-pretas", disse.

O avião pode estar a 25-32 metros de profundidade.

Quatro cadáveres em caixões brancos chegaram nesta quinta-feira a Surabaya, a segunda maior cidade indonésia, somando-se aos dois que já foram transportados e identificados.

A bordo do avião da AirAsia se encontravam 155 indonésios, três sul-coreanos, um britânico, um malaio, um cingapuriano e o co-piloto francês.

A aeronave caiu no mar devido às más condições atmosféricas. O piloto da AirAsia pediu aos controladores de tráfego aéreo para modificar seu plano de voo devido ao mau tempo, solicitação que foi aceita, mas depois pediu para ganhar altitude com o objetivo de evitar uma tempestade, e esta segunda solicitação foi negada devido ao forte tráfego aéreo.

Os navios e aviões de vários países, entre eles Estados Unidos, Austrália, Malásia e Cingapura, participam do dispositivo de busca no mar de Java.

Entre os restos recuperados no momento, encontram-se uma porta do avião e várias malas.

O ano de 2014 foi trágico para a aviação civil da Malásia. O acidente da AirAsia soma-se à perda de duas aeronaves da companhia nacional Malaysia Airlines.

No dia 8 de março, o voo MH370 da Malaysia Airlines, um Boeing, desapareceu dos radares pouco depois de decolar de Kuala Lumpur rumo a Pequim com 239 pessoas a bordo.

O avião não foi encontrado e seu desaparecimento continua sendo um mistério. Pode ter caído no oceano Índico por falta de combustível.

No dia 17 de julho, outro Boeing da Malaysia Airlines, do voo MH17, que voava de Amsterdã a Kuala Lumpur, foi derrubado em pleno voo por um míssil quando sobrevoava o leste da Ucrânia, palco de uma guerra.

A aeronave transportava 298 pessoas, entre elas 193 holandeses.

AFP

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave