Avacoelhada

iG Minas Gerais |

A causa e o efeito da desmotivação dos pratas da casa no processo de transição se confundem. Inicialmente, os promovidos não participam nem do time reserva durante os treinamentos. Perdem espaço para atletas pouco qualificados e com salários maiores. Só são escalados nos coletivos e jogos de acordo com a necessidade, devido a contusão, suspensão e, em último caso, grande sequência de erros dos contratados. Ainda assim, muitas vezes, são improvisados. A falta de oportunidade diminui a motivação. Desmotivados, estacionam no estágio de desenvolvimento profissional. Depois, os responsáveis pelas decisões no futebol transferem para o motivacional o não aproveitamento dos ex-juniores. A comissão técnica da equipe principal precisa ter capacidade para trabalhar o aprimoramento dos jogadores vindos da base a fim de formar um time mesclado.

A voz da Massa Saudações alvinegras. Em outros tempos, nós víamos no final de ano uma leva de jogadores saindo e outra chegando ao nosso time. Hoje em dia, isso mudou. Agora, a palavra de ordem no Galo tem sido manter o elenco e contratar só o estritamente necessário. Não apenas com vistas a manter um elenco forte e bem entrosado, mas também por conta dos altos preços dos bons jogadores. Ainda bem, pois, em muitas das vezes, os que chegavam costumavam ser piores do que os que saíam! Neste ano, do elenco atual, possivelmente só Guilherme sairá, e por enquanto só Lucas Pratto foi contratado, o que, aliás, teve a aprovação total da Massa. Contudo, eu ainda acho que, se Guilherme sair mesmo, vai deixar Dátolo sozinho na posição, e um armador da qualidade de Guilherme está em falta no mercado. Portanto, a diretoria deveria fazer um esforço para segurá-lo.

A voz Celeste Saudações celestes, nação azul. Leandro Damião fecha com o Cruzeiro. Posso ser sincero? Nem ele nem Fred eram os nomes do meu agrado, eu ainda contava com a permanência do flecheiro Marcelo Moreno, artilheiro celeste nas duas passagens e tetracampeão brasileiro. Das arquibancadas, gritarei e empurrarei o meu Cruzeiro com Leandro Damião no ataque do maior de Minas, porque, como torcedor, é essa a minha responsabilidade, foi para isso que nasci. Com o meio de campo criativo que temos, boto fé em um ano mágico para o novo centroavante celeste. Que se torne um ídolo, seja eternizado e escreva seu nome na história do cruzeiro, nas páginas heroicas imortais. E que, principalmente, me faça pagar língua. Temos um ano de 2015 com imensas possibilidades, minha preferência é pelo tricampeonato da Libertadores da América.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave