Após enchente, moradores protestam e depredam ônibus em SP

Entro de Gerenciamento de Emergência (CGE), da prefeitura, chegou a registrar oito pontos de alagamento na cidade, sendo apenas um na zona leste

iG Minas Gerais | Folhapress |

Um grupo de moradores fez um protesto na noite desta segunda-feira (29) contra os alagamentos que afetaram a região do Itaim Paulista, na zona leste de São Paulo. Ônibus foram apedrejados, mas a SPTrans não soube informar o número de exato.

A manifestação começou por volta das 18h40, na avenida Marechal Tito, altura da rua Itajuíbe. Segundo a Polícia Militar, o ato reuniu em torno de 30 pessoas, que montaram barricadas e fecharam a via. Por volta das 20h20, ainda havia bloqueio no sentido centro.

O Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE), da prefeitura, chegou a registrar oito pontos de alagamento na cidade, sendo apenas um na zona leste. Por volta das 20h20, ele ainda bloqueava parcialmente a rua Benedito Leite Avila, altura da da rua Amalia Heredia Fernandes, sentido único.

Os bombeiros, porém, afirmaram ter registrado outros pontos de alagamento na zona leste. O último dele foi na rua Itajuíbe, altura do número 177, no Itaim Paulista. Segundo a corporação, além da enchente houve o desabamento parcial do muro de uma casa.

Toda a cidade chegou a entrar em estado de atenção devido às chuvas na tarde desta segunda. Algumas cidades da região metropolitana também tiveram problemas, como Suzano e Itaquaquecetuba.

As quedas de árvore continuaram a ser um problema na capital paulista, como já havia ocorrido em dias anteriores. Eram 274 no horário. As rajadas de vento chegaram a atingir 96 km/h no aeroporto de Congonhas, na zona sul de SP.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave