Com chuvas, nível do Cantareira permanece estável em 7,3%

As chuvas têm ajudado o Cantareira a manter-se acima do patamar de 7% desde o último dia 24 de dezembro

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

SP - ABASTECIMENTO/CRISE DA ÁGUA/CANTAREIRA - GERAL - Represa do Atibainha, na cidade de Nazaré   Paulista (SP), nesta segunda-feira (10). O   nível de água do Sistema Cantareira, que   abastece parte da Região Metropolitana de   São Paulo, caiu novamente hoje. Dados da   Companhia de Saneamento Básico do Estado   de São Paulo (Sabesp) indicam que a reserva   das represas chega a 11,3%, ante 11,4% no   domingo (09).    10/11/2014 - Foto: LUIS MOURA/ESTADÃO CONTEÚDO galeria
ESTADÃO CONTEÚDO
SP - ABASTECIMENTO/CRISE DA ÁGUA/CANTAREIRA - GERAL - Represa do Atibainha, na cidade de Nazaré Paulista (SP), nesta segunda-feira (10). O nível de água do Sistema Cantareira, que abastece parte da Região Metropolitana de São Paulo, caiu novamente hoje. Dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) indicam que a reserva das represas chega a 11,3%, ante 11,4% no domingo (09). 10/11/2014 - Foto: LUIS MOURA/ESTADÃO CONTEÚDO galeria

O nível de armazenamento de água do Sistema Cantareira, principal reservatório de abastecimento da Grande São Paulo, manteve-se estável em 7,3% em relação ao volume registrado esse domingo (28). Os dados fazem parte do levantamento diário da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Entre os dias 27 e 28, os reservatórios que compõem o sistema tiveram uma baixa de 0,1 ponto percentual após quatro dias de recuperação.

As chuvas têm ajudado o Cantareira a manter-se acima do patamar de 7% desde o último dia 24. Nessa data, o índice pluviométrico chegou a 52,4 milímetros, elevando em 0,3 ponto percentual a capacidade do reservatório, passando de 6,7% para 7%. No acumulado do mês, as precipitações somam 144,6 milímetros (mm). O índice, no entanto, ainda está abaixo da média para o mês de dezembro, de 220,9 mm.

Nas demais represas que abastecem a região metropolitana de São Paulo, houve queda, entre o último domingo (28) e a segunda-feira (29), no volume armazenado no Alto Tietê (de 12,1% para 12%) e no Guarapiranga (de 40,8% para 40,5%). Neste último, apesar da queda, a pluviometria acumulada, de 244,8 mm, já supera a média histórica, que é 175,2 mm.

O volume de água armazenado no Alto Cotia permaneceu estável em 31,6%. Apresentaram melhora no nível dos reservatórios, os sistemas Rio Grande (de 71,3% para 71,9%) e Rio Claro (de 33,4% para 33,5%).  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave