Acidente de Schumacher completa um ano e saúde do ex-piloto é segredo

O heptacampeão da Fórmula 1 se acidentou no dia 29 de dezembro de 2013, enquanto esquiava nos Alpes Franceses

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Antes de sofrer o acidente, Michael tinha o costume de esquiar com o filho, nos Alpes Franceses
PATRICK HERTZOG / AFP
Antes de sofrer o acidente, Michael tinha o costume de esquiar com o filho, nos Alpes Franceses

Há exato um ano, a família do heptacampeão da Fórmula 1, Michael Schumacher, vive um drama na luta pela recuperação da saúde do ex-piloto. Exatamente no dia 29 de dezembro de 2013, Schumi sofreu um acidente enquanto esquiava nos Alpes Franceses, o que gerou uma grave lesão no cérebro do ex-esportista. Desde então, o real estado de saúde do alemão permanece em segredo.

Segundo a imprensa alemã, Schumi usa cadeiras de rodas e tem graves problemas de memória e de fala. Durante 2014, a empresária e porta-voz de Michael, Sabine Kehm divulgou poucas  informações sobre o estado de saúde do ex-piloto. A informação oficial é de que o heptacampeão da F-1  vem evoluindo bem ao tratamento, mas que a sua recuperação total pode levar anos. 

“Michael está fazendo progressos, apropriada à gravidade da sua lesão. É uma lesão séria e que precisa de uma recuperação à longo prazo", disse Kehm à TV alemã, RTL – último boletim divulgado pela empresária no ano, quando também informou que as fotos de Michael tomando sol na sua mansão eram falsas.

Logo após sofrer o acidente, Michael Schumacher foi transferido para o Hospital de Grenoble, na França e por lá permaneceu até junho deste ano, quando saiu do coma.  Em seguida,  Schumi foi transferido para  o Hospital Universitário de Lausanne, na Suíça,  onde ficou até setembro, quando recebeu autorização dos médicos para continuar o tratamento em casa.

Schumacher é o maior vencedor da Fórmula 1 e é  muitas vezes considerado, pelos fãs do esporte, como o melhor piloto da categoria . Em seus 20 anos na F-1, Schumi faturou sete títulos: dois pela italiana Benetton (1994 e 1995) e cinco com a equipe clássica Ferrari (2000,2001,2002,2003 e 2004). 

Leia tudo sobre: michael schumacherformula 1acidentealpes francesesgrenoblefrançalaussanesuiça