O que aconteceu com voo AirAsia QZ8501?

Até o momento, não foram encontrados destroços do Airbus A320-200, e o diretor da Agência Nacional de Busca e Resgate da Indonésia, Bambang Soelistyo, disse nesta segunda que "a hipótese é que o avião esteja no fundo do mar"

iG Minas Gerais | AFP |

Vista da costa onde estão sendo feitas as buscas pelo AirAsia
BAY ISMOYO / AFP
Vista da costa onde estão sendo feitas as buscas pelo AirAsia

Um dia após o desaparecimento do voo da AirAsia QZ8501, que fazia o trajeto entre Indonésia e Cingapura com 162 pessoas a bordo, o mistério continua.

Até o momento, não foram encontrados destroços do Airbus A320-200, e o diretor da Agência Nacional de Busca e Resgate da Indonésia, Bambang Soelistyo, disse nesta segunda-feira (29) que "a hipótese é que o avião esteja no fundo do mar".

Algumas questões sobre o desaparecimento e a busca da aeronave foram respondidas por especialistas da indústria aeronáutica.

Qual pode ter sido o impacto do mau tempo?

Os controladores de tráfego aéreo perderam contato com o bimotor cerca de uma hora depois de sua decolagem do Aeroporto Internacional Juanda, em Surabaya, no leste de Java, às 05H35 de domingo (20H35 de sábado no horário de Brasília).

A AirAsia afirmou que, pouco antes de seu desaparecimento, o avião havia pedido autorização ao centro de controle aéreo de Jacarta para desviar seu plano de voo e subir sobre o mau tempo em uma área conhecida por fortes tempestades elétricas.

Gerry Soejatman, consultor do provedor de voos fretados Whitesky Aviation, com sede em Jacarta, afirmou que até agora há dúvidas de que o mau tempo tenha sido o principal ou o único fator para o desaparecimento.

"Com base na informação pública que temos, os pilotos seguiram para a esquerda da rota especificada, e também pediram para subir a uma altitude mais elevada", declarou Soejatman à AFP.

"Foi aprovada uma rota à esquerda, mas há indicações de que o avião subiu sem autorização. Se foi isso, a turbulência pode ter sido severa e os pilotos podem ter tomado a decisão para salvar o avião em vez de esperar a aprovação", acrescentou.

Anthony Brickhouse, membro da Sociedade Internacional de Pesquisadores sobre Segurança Aérea, afirmou que "não é atípico haver uma rota de voo pré-programada, acontecer alguma coisa e os pilotos a ajustarem".

"Em geral, os aviões de linha tentam evitar as tempestades sempre que possível para dar aos passageiros um voo mais tranquilo", declarou à AFP Brickhouse, professor adjunto da Universidade Aeronáutica Embry-Riddle.

"Até agora, o fato de que eles tentaram evitar o mau tempo não nos diz muita coisa sobre a situação", explicou. 

Houve outros desaparecimentos misteriosos de aviões?

O voo MH370 da Malaysia Airlines Flight desapareceu quando voava de Kuala Lumpur para Pequim em 8 de março deste ano, com 239 passageiros e tripulantes.

Acredita-se que o Boeing 777-200 tenha caído no Oceano Índico longe da costa ocidental da Austrália depois de desviar de sua rota por uma razão desconhecida e de voar por várias horas sobre águas remotas.

As buscas intensas por ar, por mar e submarinas não conseguiram encontrar qualquer vestígio da aeronave.

O voo QZ8501 se deslocava mais lentamente quando desapareceu?

Alguns especialistas disseram que a leitura inicial dos dados do radar indicam que, quando desapareceu, a aeronave voava muito mais lentamente do que deveria.

Soejatman disse que as primeiras leituras de uma imagem de tráfego aéreo que estão circulando na internet mostram que o voo QZ8501 estava "muito lento".

"Se um avião voa abaixo da velocidade de perda, ele cairá do céu", afirmou.

Pode-se descartar terrorismo ou tentativa de sequestro?

Os especialistas afirmam que é prematuro descartar qualquer possibilidade.

"Como pesquisador, sou treinado para considerar todas as possibilidades até que as provas sugiram outra coisa", disse Brickhouse.

"Até o momento não vi nada que possa ser associado com algum tipo de ação criminosa", afirmou.

Soejatman disse que a AirAsia não utiliza os serviços da ACARS (Aircraft Communications Addressing and Reporting System) -que envia mensagens aos controladores em terra- apesar de o Airbus A320-200 estar equipado com o sistema.

Disse também que as autoridades devem agir rapidamente para melhorar a tecnologia que ajuda a localizar as aeronaves quando desaparecem.

Leia tudo sobre: AirAsiaDESAPARECIMENTOBUSCASMISTÉRIOMUNDOMARDESASTRETRAGÉDIA