Neto paga promessa que fez quando criança e leva vó pra andar de moto

Tem gente que costuma dar meia para a avó no Natal, ou de repente, um livro de receitas, um casaquinho de lã, uma lata de biscoitos; ele preferiu cumprir a promessa que fez a avó quando tinha 5 anos

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

As mesmas ruas que avó e neto observavam pela janela há 25 anos serviram como roteiro para o passeio
Lívia Senna/ Rafael Senna
As mesmas ruas que avó e neto observavam pela janela há 25 anos serviram como roteiro para o passeio

Se a vida do fotógrafo Bruno Senna, de 31 anos, fosse um filme, com certeza, uma das cenas seria assim: um passeio de moto com a avó, de 89 anos, como presente de Natal. Corta para o flashback, e a imagem ganha um filtro retrô para mostrar o pequeno Bruno, com 5 anos, ao lado da avó, na janela da casa dela, em uma Savassi muito mais simpática e menos urbanizada que agora, onde os dois costumavam ficar vendo o tempo passar. Com os olhos curiosos, talvez, levantando os pés para alcançar o peitoral da janela, ele vê uma motoca passando pela rua, e diz: ´vó, quando eu crescer, eu vou comprar uma moto e vou levar você pra passear'.

A história é real, e a promessa foi cumprida no almoço do último Natal na casa da matriarca da família, a aposentada Joana D´Arc Batista Senna. A cena deixou primos e tios extasiados, e rendeu até escolta para que o passeio de dona Joana - que nunca havia andando de moto antes - fosse documentado. As ruas da Savassi ficaram mais coloridas este dia, com os cabelos ruivos de dona Joana e com os sorrisos da família.

"Quando eu era criança, passava muito tempo a tarde na casa da minha vó, e quando eu ia esperar meus pais me buscarem, a gente ficava na janela, vendo a rua, vendo os carros passarem. Aí um dia eu falei que quando crescesse, ia comprar uma moto, passar aqui, buzinar, e ela ia descer e ir comigo. Comprei a moto no ano passado. Eu achei que ia ser mais difícil pra ela andar comigo, hoje ela já sente um pouco as pernas, mas foi exatamente assim que aconteceu", conta o neto, orgulhoso.  

"Eu lembro direitinho desse dia. Ele sempre ficava aqui comigo na janela, e quando passavam as motos eu falava ´olha lá a moto´, aí um dia ele falou que quando crescesse ia ter uma moto e eu ia andar com ele. E aí ele aparece com essa, 25 anos depois. Na hora eu tive muito medo, a moto é alta e eu já estou numa certa idade. Mas eu adorei. Foi muito bonito. Foi o Natal mais gostoso que eu já tive", conta Joana, que também não disfarça o orgulho ao falar do neto. Nem os sorrisos. 

O fotógrafo também conta que se divertiu com a primeira experiência da avó na moto. "Ela nunca tinha andado e não teve medo nenhum. Até falou que depois que você anda de teco teco, ´isso aí é bem de boa´", lembra, aos risos.

A cena pode não ser de filme, mas vai ficar registrada pra sempre na memória da família e de quem passou pelas ruas da Savassi nesse Natal. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave