Sargento da PM é sequestrado no Carlos Prates e baleado em Santa Luzia

Ele foi resgatado por outro militar e foi encaminhado para o João XXIII, onde passou poe uma cirurgia para a retirada da bala que o atingiu na coxa direita

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

PM foi socorrido e levado ao João XXIII, onde passou por uma cirurgia para retirar a bala
divulgação/ pm
PM foi socorrido e levado ao João XXIII, onde passou por uma cirurgia para retirar a bala

Um sargento da Polícia Militar (PM) quase foi assassinado na noite desse sábado, ao ser sequestrado em seu carro e os suspeitos darem conta de que se tratava de um policial, no bairro Carlos Prates, região Noroeste de Belo Horizonte. A vítima chegou a ser baleada em um local deserto para onde foi levado, em Santa Luzia, mas foi socorrida e não corre risco de morte.

Segundo informações da PM, o sargento Elmar Carvalho Moura, de 48 anos, lotado na 38ª Companhia do 18° Batalhão, estava indo para uma festa no bairro Carlos Prates, portanto, sem o uniforme da Polícia Militar, e quando estava estacionando o seu carro, um Honda Civic prata, na rua Cambuquira, quando foi abordado por três suspeitos. Eles abriram a porta do veículo ordenando que o policial fosse para o banco de trás. Um deles estava armado e ameaçava a vítima durante o trajeto.

O trio fugiu pela avenida Pedro II, via paralela à Cambuquira,  e em determinado momento do caminho, um dos suspeitos que estava com a carteira da vítima viu o cartão de um plano corporativo da PM e descobriu que havia acabado de sequestrar um militar.

Os suspeitos ainda foram até Santa Luzia com a vítima e, na MG-020, em um local conhecido como estrada do sanatório, mandaram o policial sair do veículo e correr. Só que quando o sargento saiu, um dos suspeitos gritou "atira nele". Enquanto corria, a vítima ouviu cerca de seis disparos, sendo que um deles o atingiu na coxa. Depois disso, os suspeitos fugiram com o carro da vítima e não foram mais localizados.

O sargento, que estava caído no chão por causa do ferimento, continuou tentando fugir, se rastejando, com medo de que os suspeitos voltassem para matá-lo. Ele passou a gritar e pedir ajuda e acabou sendo encontrado por outro policial militar, e foi socorrido e levado para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, onde permanece internado depois de uma cirurgia para retirar a bala do fêmur.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave