Bancos e energia preocupam mais

iG Minas Gerais |

Os bancos e o setor de energia estão entre os que mais preocupam a nova equipe econômica. Segundo uma fonte que trabalha na transição interna do governo, os futuros ministros ficaram surpresos, negativamente, com a chamada “Tesouro dependência” no setor elétrico.

Segundo fontes, a partir de 2015, o Tesouro “não tem mais as condições mínimas” para realizar novos aportes às empresas, para segurar tarifas e quem deve pagar a conta será o consumidor. Os reajustes na conta de luz que estão no horizonte certamente pressionarão a inflação.

Na visão da nova equipe, já está claro que os índices de preço vão piorar antes de melhorar. A palavra mais repetida no Planalto é “racionalidade”.

Outro ponto problemático é a Caixa, que nos últimos anos foi o principal instrumento do governo para turbinar o crédito. O ritmo acelerado da concessão de empréstimos deixou o banco enfraquecido. A situação se agravou com os sucessivos pagamentos de dividendos ao Tesouro.

Especialistas dão como certo que será necessário aportar recursos na Caixa e também no Banco do Brasil.

Habitação

Medo. O setor da construção civil teme que a restrição fiscal afete a terceira etapa do Minha Casa, Minha Vida, cuja meta é de três milhões de unidades nos próximos quatro anos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave