Ousadia muito necessária

Direção de Luiz Fernando Carvalho foi um dos pontos fortes da novela “Meu Pedacinho de Chão”

iG Minas Gerais | geraldo bessA |


Estética apurada e boas atuações garantiram a “Meu Pedacinho de Chão” o prêmio de melhor trama
Globo
Estética apurada e boas atuações garantiram a “Meu Pedacinho de Chão” o prêmio de melhor trama

A teledramaturgia em 2014 se equilibrou entre experimentos e tradição. Ironicamente, foi um remake que soube apresentar o novo ao público. Escolhida como Melhor Novela de Melhores & Piores de TV Press 2014, “Meu Pedacinho de Chão”, de Benedito Ruy Barbosa, soube integrar texto limpo e direto e apuro estético como nenhuma outra novela no ano. Além disso, a trama dirigida por Luiz Fernando Carvalho, escolhido como Melhor Diretor, trouxe novos atores e tirou da mesmice intérpretes como Juliana Paes e Rodrigo Lombardi. A audiência, que não é medida de qualidade, não foi lá das melhores. Apenas acompanhou o processo de perda de público das novelas em geral.

O ano já começou com os números fracos de “Em Família”, trama ambientada no tempo da delicadeza e que transformou a última novela de Manoel Carlos na trama de menor audiência da história do horário das nove. Pelo mesmo caminho foi a incensada “O Rebu”, a aposta “Geração Brasil” e “Vitória”, a interminável atual novela da Record, escolhida pela equipe e editores da TV Press como a Pior Novela de 2014. No segundo semestre, “Boogie Oogie” e “Império”, cada uma a seu modo, mostraram que as telenovelas ainda têm fôlego e apelo com o público. No entanto, enquanto a trama do estreante Rui Vilhena apenas recicla velhos clichês folhetinescos, Aguinaldo Silva se reinventa no horário das nove, com uma de suas novelas mais complexas, instigantes e diferentes. Isso se reflete na escolha de Aguinaldo como o Melhor Autor do ano.

O talento de Aguinaldo para a criação de personagens acaba ajudando seu elenco. Na área de atuação, por exemplo, o único quesito unânime foi o de Melhor Ator, o desempenho forte de Alexandre Nero como protagonista de “Império” não deixa dúvidas. Mas Marina Ruy Barbosa e Viviane Araújo também foram destaques e sagraram-se Melhor Atriz Coadjuvante e Atriz Revelação, respectivamente. Outros intérpretes tiveram atuações premiadas, como Cássia Kis Magro e Jesuíta Barbosa, de “O Rebu”, e Marco Ricca, de “Boogie Oogie”.

 

Premiados

Melhor Novela: “Meu Pedacinho de Chão” Pior Novela: “Vitória”  Melhor Atriz: Cássia Kis Magro, a Carolina de “Amores Roubados” e a Gilda de “O Rebu” Pior Atriz: Isis Valverde, a Antônia de “Amores Roubados” e a Sandra de “Boogie Oogie” Melhor Ator: Alexandre Nero, o José Alfredo de “Império” Pior Ator: Gabriel Braga Nunes, o Laerte de “Em Família” Melhor Autor: Aguinaldo Silva, autor de “Império” Melhor Diretor: Luiz Fernando Carvalho, diretor de “Meu Pedacinho de Chão” Melhor Série Dramática: “Dupla Identidade”, da Globo Melhor Série de Humor: “Tapas & Beijos”, da Globo

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave