Ponto de virada

No ar em “Alto Astral”, atual folhetim das sete, Kayky Brito vive primeiro papel adulto com drama forte

iG Minas Gerais | luana borges |

Preparação. Para compor papel, Kayky encarou cirurgias reais e diz que processo foi bem difícil, mas fundamental
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
Preparação. Para compor papel, Kayky encarou cirurgias reais e diz que processo foi bem difícil, mas fundamental

Kayky Brito cresceu na televisão. E, desde que estreou, em “Chiquititas”, exibida pelo SBT em 1999, se acostumou a interpretar papéis condizentes com sua idade. Por isso, acumulou muitos personagens infantis e adolescentes, como o Zeca de “O Beijo do Vampiro” e a Bernadete de “Chocolate com Pimenta”. Agora, aos 26 anos, apesar da cara de menino, encarna um tipo maduro e com uma carga dramática maior. Essa mudança era um desejo de Kayky. Por isso, o convite para interpretar o anestesista Israel, em “Alto Astral”, foi muito bem-recebido. “O que mais gostei foi a seriedade do papel, do rumo que ele pode vir a tomar porque sempre fiz personagens mais garotos. Não que eu não seja ainda um, mas queria fazer um personagem envolvido em alguma coisa pesada, com um drama mais consistente”, explica.

O drama a que Kayky se refere é o fato de Israel ser um ex-viciado em medicamentos na história escrita por Daniel Ortiz. Agora em fase de recuperação, o personagem sofre com crises de ansiedade e se esforça para conseguir trabalhar no hospital do primo, Marcos, de Thiago Lacerda, que não confia no rapaz. Para entender esse lado do papel, o ator fez uma intensa pesquisa. Com a ajuda da coach Andréa Cavalcanti, conversou com pessoas que já haviam passado por situação semelhante. “Crise de ansiedade é aquela coisa que você não sabe bem o que está acontecendo, vem um calor, a sensação de que vai morrer, disparo de coração...”, enumera.

Interessado em entender 100% o personagem, Kayky decidiu também assistir a algumas cirurgias. Logo na primeira experiência, chegou a ficar um pouco nervoso. “Pedi para sair do local porque me deu calor e enjoo. Tive de beber uma água e sentar, senão ia cair”, confessa. Mas o ator acabou se acostumando e tirou proveito do laboratório para entender a importância de um anestesista e para tornar sua interpretação crível. “O anestesista é o primeiro a chegar e o último a sair da cirurgia. Para fazer esse personagem, sem ter estudado dez anos a profissão, precisei encarar logo a realidade”, argumenta.

Mas nem só de drama vive Israel em “Alto Astral”. Além de ter uma trama própria, o médico é um dos membros de uma família inusitada, que tem Manoel, de Leopoldo Pacheco, como patriarca. O pai batizou os filhos com nomes de países. Israel é irmão de Bélgica, Itália e Afeganistão, interpretados por Giovanna Lancellotti, Sabrina Petraglia e Gabriel Godoy, respectivamente. Para encontrar o tom deste núcleo com um pé na comédia, Kayky se reuniu com os atores para conversar e discutir o texto. “Vejo que cada vez mais preciso mergulhar nas características do personagem e ter pessoas do meu lado para criar. Trabalhar em equipe para o descobrimento de um papel funciona melhor”, assegura ele, que adora fazer comédia. “Sou comediante na vida real, gosto de brincar, falar besteira... Mas ainda não posso dizer se é a minha preferência. Estou descobrindo, aprendendo”, pondera.

Perfil Nome completo:

Kayky Fernandes de Brito

Data de nascimento:

6 de outubro de 1988

Local de nascimento:

São Paulo (SP)

Signo: Libra

Últimos papéis na TV:

Ricardão de “Malhação” (2013), Sinval de “Passione” (2010), Xongas de “Sete Pecados” (2007)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave