Brasileiro diz que neve atrapalhou, mas exalta primeiro gol pelo City

Fernando disse que Manchester soube manter o bom nível de futebol e quer seguir vencendo para alcançar líder Chelsea

iG Minas Gerais | Folhapress |

No City desde junho, Fernando marcou seu primeiro gol pela equipe na última sexta-feira
Reprodução
No City desde junho, Fernando marcou seu primeiro gol pela equipe na última sexta-feira

O brasileiro Fernando, 27, afirmou que a neve atrapalhou um pouco sua equipe, o Manchester City, na vitória sobre o West Bromwich por 3 a 1, na sexta-feira (26), pela 18ª rodada do Campeonato Inglês.

Com a vitória, o City chegou aos 42 pontos na tabela e se manteve na segunda colocação, a três de distância para o líder Chelsea.

"Realmente, a gente não esperava a neve. Nos prejudicou um pouco no segundo tempo, mas nossa equipe conseguiu manter o nível. Infelizmente, sofremos o gol no fim, mas conseguimos manter a vitória que era o mais importante nesta partida", disse o volante brasileiro, que teve uma boa atuação e, inclusive, marcou o seu primeiro gol com a camisa do time inglês.

"Fico muito feliz por fazer meu primeiro gol e também por ajudar a equipe. Foi excelente, precisávamos desta vitória e eu pude ajudar com um gol. A sequência de vitórias é muito importante para nós. Sabemos da grandeza do clube e que temos sempre de estar buscando as vitórias", acrescentou.

O gol anotado pelo meio-campista foi em uma jogada de meia-bicicleta, após rebote do goleiro adversário.

Revelado no Vila Nova, único clube que atuou no Brasil, Fernando se transferiu para o Porto em 2007. O jogador foi emprestado ao Estrela da Amadora antes de ganhar uma sequência no Porto. Em junho deste ano, se transferiu para o Manchester City.

Ele se naturalizou para jogar pela seleção portuguesa, mas a Fifa proibiu sua utilização. A entidade vetou a ida de Fernando para a seleção de Cristiano Ronaldo porque ele defendeu o Brasil no Sul-Americano sub-20 de 2007.

Segundo o regulamento das naturalizações da Fifa, um jogador que disputou torneios oficiais na base por um país só pode defender outra seleção quando adulto se, naquele momento, ele já possuísse dupla cidadania.