O ano dos eventos

Em 2014, encontros gastronômicos celebraram a culinária e levaram milhares de pessoas às ruas para aproveitar a boa mesa; intenção é levá-los para fora das fronteiras de MG

iG Minas Gerais | Lygia Calil |

Lincon Zarbietti / O Tempo
undefined

O aprofundamento da visão de que a melhor gastronomia é aquela realizada em seu local de origem vem transformando o mercado mineiro. Quase dois anos após a homenagem do Madri Fusión à culinária de Minas Gerais, o tempo é de colher os frutos gestados no mais importante evento do setor no mundo.

Entre os chefs mineiros que se projetam Brasil afora com um pé na tradição e outro no vanguardismo internacional e um mercado afoito por novidades, 2014 pode ser encarado como “o ano dos grandes eventos” na capital.

Confirmando a vocação gastronômica de Belo Horizonte, empreendedores se dedicaram à criação de encontros que celebram a cultura culinária e a boa mesa. Assim surgiram duas grandes novidades, o Fartura BH e o Aproxima. Em comum, ambos trazem a lógica da valorização de toda a cadeia de consumo, provocando uma comunhão entre produtores, chefs e público, que dividem o mesmo espaço e importância.

Outra surpresa foi o crescimento do Gastronomia na Praça, cuja primeira edição foi realizada em 2013.

Os comandantes do Fartura e do Aproxima, respectivamente os empresários Rodrigo Ferraz e Eduardo Maya, já são conhecidos da cena mineira e trouxeram na bagagem a experiência necessária para tocar os projetos. Ferraz é o nome à frente da produção do festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes. Já Maya é o idealizador do concurso Comida di Buteco, do qual se desligou em 2013.

Para os dois empresários, o público belo-horizontino fez jus ao slogan de “Estado da Gastronomia”, lotando todos os eventos realizados ao ar livre na capital. “O mais bonito é ver as pessoas marcando presença nos eventos, conhecendo os produtores e chefs, experimentando pratos, expandindo seus conhecimentos. Um dos papeis dos eventos é esse, trazer um conceito forte e amarrado que possa fortalecer cada vez mais o mercado”, avalia Eduardo Maya. Com o sucesso dos formatos neste ano, a perspectiva para 2015 não poderia ser diferente: todos os eventos já têm planos para ser realizados em outros lugares, fora das fronteiras do Estado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave