Acordo de cooperação dará eficiência energética à estação Guandu 2

Termo assinado entre a Cedae do Rio de Janeiro e a Agência de Comércio e Desenvolvimento dos Estados Unidos vai permitir otimização do projeto

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

Um acordo de cooperação técnica assinado entre a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) do Rio de Janeiro e a Agência de Comércio e Desenvolvimento dos Estados Unidos (USTDA, do nome em inglês) vai permitir a otimização do projeto do Complexo Guandu 2, visando a sua eficiência energética.

O presidente da Cedae, Wagner Victer, ressaltou que o acordo é inovador porque ocorre no momento em que a empresa está concluindo o projeto de detalhamento  do novo Guandu, que é a nova estação que está sendo instalada para atendimento à região metropolitana do Rio de Janeiro, com destaque para a Baixada Fluminense.

O acordo prevê que empresas americanas darão contribuições para a melhoria da eficiência da estação, principalmente do ponto de vista energético. “É pegar experiências de empresas  internacionais, justamente na fase em que você tem maior potencial de aproveitamento, que é a fase de elaboração do projeto”, disse Victer.

O projeto faz parte do programa do governo norte-americano de apoio a ações prioritárias de países em desenvolvimento.  Segundo informação da assessoria de imprensa da Cedae, será disponibilizada verba de US$ 200 mil para contratação de consultoria americana especializada, sem custos para a empresa fluminense. A consultoria auxiliará as equipes da Cedae na implantação de tecnologias modernas que gerem economia de energia no processo de tratamento da água.

Wagner Victer disse que o programa do governo americano estabelece a possibilidade de financiamentos a fundo perdido, para que empresas americanas, que serão contratadas pelo programa, possam, em forma de consultoria, oferecer soluções para a melhoria de projetos em países parceiros. “Isso é muito interessante porque a fase de elaboração de projeto é a melhor fase  para receber contribuições e otimizações, antes de você  fazer uma licitação. Então, a gente está indo à frente”.

Victer lembrou que o governo dos Estados Unidos tem vasta experiência na introdução de 'grandes estações de produção de água. E todas as contribuições são muito bem recebidas”.

A autorização de empréstimo da Caixa Econômica Federal (Caixa) para a Cedae construir o sistema Guandu 2 foi assinado em julho desse ano pela presidenta Dilma Rousseff e o governador Luiz Fernando Pezão. O empréstimo alcança R$ 3,4 bilhões. “É o maior investimento em saneamento e oferta de água que está ocorrendo no Brasil, neste momento”.

Victer disse que para a primeira fase da obra, que envolve a construção de “centenas de quilômetros de novas  adutoras e quase 20 novos  reservatórios, as licitações já estão na rua”. A segunda etapa, cuja licitação começa em 2015, engloba a construção da nova estação, que é complementar à estação do Guandu 1, maior estação do mundo, com capacidade para tratar 43 mil litros de água por segundo. A nova estação terá capacidade para tratar 12 mil litros de água por segundo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave