Henrique Alves tira nome de reforma ministerial devido à Lava Jato

Assessoria do presidente da Câmara divulgou nesta terça (23) nota dizendo que PMDB não deve incluir nome de parlamentar entre ministeriáveis, depois que ele foi citado nas investigações da Lava Jato

iG Minas Gerais | Folhapress |

Antonio Cruz/ABr
undefined

A assessoria do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), divulgou nota na tarde desta terça-feira (23) dizendo que o partido deve deixar o parlamentar de fora da lista de ministeriáveis devido às citações de seu nome na Operação Lava Jato.

Segundo o texto, o próprio Alves entrou em contato com o vice-presidente da República, Michel Temer, e pediu que seu nome não fosse considerado entre os possíveis para a composição do "honroso novo ministério" da presidente Dilma Rousseff.

No documento, a citação de seu nome no âmbito da Lava Jato é "absurda" e é dito que Alves faz questão de tal situação seja esclarecida.

Leia abaixo a íntegra da nota: 

"O Presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, pediu ao vice-presidente da República, Michel Temer, que não considerasse o seu nome entre os incluídos pelo PMDB para compor o honroso novo ministério porque faz questão que seja esclarecida a citação absurda envolvendo o seu nome.

O deputado Henrique Alves vai concluir sua gestão na presidência da Câmara até o término do mandato."

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave