Arrecadação pode cair pela primeira vez desde 2009

Governo arrecadou mais de R$ 1 trilhão, mas valor até novembro é menor que em 2013

iG Minas Gerais |

Montadoras de veículos vão perder o IPI reduzido em 2015
Iveco/Divulgação – 13.6.2013
Montadoras de veículos vão perder o IPI reduzido em 2015

BRASÍLIA. Com o fraco desempenho da economia, a arrecadação de impostos federais caiu forte em novembro e pode fechar o ano em queda real pela primeira vez desde a recessão de 2009. O governo federal recolheu R$ 104,47 bilhões em impostos e contribuições no mês passado – um recuo de 12,86% (depois de descontada a inflação) frente a novembro de 2013. De janeiro a novembro, a arrecadação federal somou R$ 1,073 trilhão.

Apesar de ter superado a marca de R$ 1 trilhão, esse volume equivale a uma queda de 0,99% na comparação com o mesmo período do ano passado. Pela primeira vez, a Receita admitiu que o resultado da arrecadação pode ser negativo este ano.

“O resultado deste ano deve ficar em torno de zero ou um pouco abaixo”, afirmou o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita, Claudemir Malaquias, acrescentando que dezembro costuma mostrar movimentos atípicos e que, portanto, ainda não é possível prever o resultado com mais precisão.

Segundo o Fisco, em novembro deste ano entraram menos recursos de parcelamentos de dívidas, por meio do Refis da Crise. Foram R$ 8,14 bilhões contra R$ 22,77 bilhões do mesmo mês de 2013.

Peso das desonerações. Também diminuiu a arrecadação de tributos vinculados ao lucro das empresas e houve perda referente às desonerações tributárias, em especial da folha de pagamento. De janeiro a novembro, o governo federal abriu mão de R$ 92,93 bilhões. No mesmo período de 2013, a renúncia fiscal foi de R$ 70,11 bilhões. Apenas no mês passado, o volume chegou a R$ 8,47 bilhões, contra R$ 7,23 bilhões em novembro de 2013. “As desonerações devem tirar quase R$ 100 bilhões da arrecadação no ano”, disse o técnico da Receita.

Malaquias também culpou a economia estagnada, citando a produção industrial em queda e as vendas menores no varejo. O valor em dólar das importações recuou 11,02%. A massa salarial, por sua vez, cresceu 6,73%. “O resultado da arrecadação é multifatorial”.

Inflação

Pela primeira vez, os economistas que respondem ao Boletim Focus do Banco Central passaram a prever inflação acima do teto da meta de 6,5% no ano de 2015. Para este ano, a expectativa dos economistas para a inflação ficou estável em 6,38%. Para 2015, subiu de 6,50% para 6,54%.

Números

R$ 17,541 bilhões foi a perda na arrecadação com isenção de PIS e Cofins sobre a folha de pagamento

R$ 11,657 bilhões deixaram de ser arrecadados com o fim da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) Déficit

A balança comercial brasileira registrou déficit de US$ 1,339 bilhão na terceira semana de dezembro, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). No acumulado do ano, o saldo está negativo em US$ 4,059 bilhões até a terceira semana do mês.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave