Ideia é surrealista, diz oposição

iG Minas Gerais |

Brasília. Líderes da oposição no Congresso criticaram a intenção da presidente Dilma Rousseff de consultar o Ministério Público (MP) para confirmar a nomeação de indicados para seu ministério. Parlamentares afirmaram que a iniciativa é “surrealista” e “sem lógica”.

“Isso revela que chegamos a uma situação surrealista em termos de ética na administração pública, porque, para a presidente ter que recorrer ao MP para nomear, é realmente algo que estarrece”, disse o vice-líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR).

Para o tucano, a medida confirma que o governo está “apodrecido” em seu interior, uma vez que muitos governistas se envolveram no escândalo de corrupção que envolve a Petrobras. Dias afirmou que o MP é um órgão independente, e não auxiliar do Poder Executivo, “que tem seus próprios mecanismos para avaliar seus potenciais novos ministros”.

O líder da minoria na Câmara, Ronaldo Caiado (DEM-GO), disse que a sugestão de Dilma aponta para uma “atitude totalmente bipolar”. Caiado lembrou que o procurador geral da República, Rodrigo Janot, cobrou a troca de toda a diretoria da Petrobras, e ontem Dilma fez um pronunciamento em defesa da manutenção da presidente da estatal, Graça Foster.

Em sua conta no Twitter, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa definiu como “degradação institucional” a declaração de Dilma. “Há sinais claros de que a chefe do Estado brasileiro não dispõe de pessoas minimamente lúcidas para aconselhá-la em situações de crise”, escreveu em um dos quatro posts.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave