Waldir Rodrigues curte a vida

iG Minas Gerais |

Waldir Rodrigues foi um dos locutores esportivos de maior sucesso no Brasil. Premiado com três Troféus Gandula consecutivos, quando trabalhava em São Paulo, nas rádios Globo e Bandeirantes. À época, era o prêmio mais cobiçado da categoria no país. Em 1959 transmitiu pela Rádio Itatiaia o primeiro jogo de uma emissora mineira do exterior. De Buenos Aires, o Campeonato Sul-Americano (hoje Copa América), Brasil x Argentina, junto com Januário Carneiro e Osvaldo Faria. Foi quando o Januário, fundador da Itatiaia, disse a frase que ficou famosa, e até hoje abre as transmissões esportivas da emissora: “Nós abrimos para o rádio de Minas, os caminhos de todos os continentes”. Trabalhou também nas rádios Guarani, Capital, Inconfidência e Mineira e fez transmissões para várias emissoras do interior. Aposentou-se na Mineira. Era conhecido como “O mais internacional dos locutores”, já que era o jornalista mais viajado de Minas e um dos mais viajados do Brasil para o exterior. Hoje, com 80 anos de idade, Waldir Rodrigues está no asilo Padre Antônio Ribeiro Pinto, na cidade de Rio Casca. Mas que ninguém pense que ele foi abandonado ou que esteja só ou triste. Muito pelo contrário A opção foi dele mesmo, nascida de uma conversa com o filho Fernando, engenheiro ambiental em Viçosa. Depois de uma visita a ele, em Belo Horizonte, Fernando o achou “largado”, bebendo muito em função da aposentadoria, da falta do que fazer e da separação da segunda mulher, Fabiana. Waldir concordou com ele e acatou a sugestão de ir para esse asilo, na cidade da primeira companheira, a Nilce.

Em ação A diretora da casa, Célia Alvarenga informou ao diretor da rádio local, Extra FM, Álisson Ribeiro, que não perdeu a oportunidade de ter em seus quadros alguém com essa bagagem e competência. Convidou Waldir a dividir com ele a apresentação do programa “Extra News”, de segunda-feira a sexta-feira, das 11h20 às 12h30, no qual eles dão notícias de tudo, comentam e entrevistam, dedicando o último bloco ao futebol. A palavra “asilo” é pesada para o local, que na verdade é uma casa de repouso, muito bem-estruturada. Waldir Rodrigues está lá há sete anos. Visita Waldir Rodrigues pode ser ouvido pela internet no endereço www.extra105.com.br, rádio de nove anos de existência, porém, líder de audiência na região e fundada pelo próprio Álisson Ribeiro. Fui lá quinta-feira fazer uma visita e conhecer essa tradicional e acolhedora cidade de Minas, a 192 km de Belo Horizonte, onde nasceu a Cotochés, fábrica de lacticínios, um dos orgulhos do nosso Estado no setor.

Um mestre Tive a satisfação de trabalhar com o Waldir na rádio Capital, na primeira oportunidade profissional que tive em Beagá. Aprendi demais com ele, da profissão e da vida; gratidão eterna. Depois trabalhamos juntos novamente na Rádio Inconfidência. Tive notícia de que ele estava em Rio Casca pelo Leopoldo Siqueira, da TV Alterosa, que o entrevistou para a “Enciclopédia” do Rádio, trabalho da melhor qualidade das jornalistas Nair Prata e Maria Cláudia Santos. A voz continua a mesma. Fisicamente mudou pouco. Waldir é conterrâneo de João Guimarães Rosa, pois nasceu em Cordisburgo, na Fazenda São Thomé, no dia 6 de junho de 1934. Com a primeira mulher teve os filhos Márcia e Fernanda. Com a segunda teve o Bruno. Tem cinco netos.

Dia de Tostão no Cruzeiro Felício Brandi, um dos maiores dirigentes da história do futebol brasileiro, foi seu padrinho de casamento, em 1962, e chegou atrasado 15 minutos à cerimônia. Depois da celebração, chamou o Waldir num canto e explicou: – Atrasei-me por um motivo que você vai gostar: eu estava numa reunião com o pessoal do América e acabei de contratar o Tostão para o Cruzeiro. E já acertei com ele e a família dele. O casamento foi na Igreja de Lourdes, celebrado pelo conselheiro do Atlético, dom Serafim Fernandes de Araújo. Ele nunca falou nos microfones para qual time torce, mas é cruzeirense. Conta que o Cruzeiro de 1966 foi o maior time que viu jogador. A Holanda de 1974 foi a melhor seleção e a forma de jogar mais impressionante. Considera Pelé, o maior jogador de todos, mas ressalvando que Garrincha está ali, colado. Não pensa muito para responder que, na Rádio Itatiaia, teve a melhor experiência profissional, e que Januário Carneiro foi um gênio da comunicação, visionário, ousado, além do seu tempo.

TVs, rádios e jornais Ele assiste à TV, ouve rádio e lê jornais, livros e revistas todos os dias. Concluiu que estava na hora de ir para uma casa de repouso quando percebeu que estava bebendo todos os dias. Ele continua tomando a sua cervejinha e fumando, porém, “moderadamente” e fora das dependências da casa de repouso. Vida que segue Waldir Rodrigues está feliz. Diz que o Asilo Padre Antônio Ribeiro é o “Maracanã” das casas de repouso; um “Cinco Estrelas”. É muito grato à direção do asilo e à cidade de Rio Casca, que o abraçou. Já foi homenageado pela Câmara Municipal, prefeitura, Polícia Militar e sempre é chamado para fazer palestras. A emoção foi grande em rever o Waldir, que felizmente está bem de saúde e muito satisfeito com a vida atual.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave