Petrobras e bancos sustentam ganho da Bolsa e JBS cai mais de 8%

No câmbio, o dólar à vista, referência no mercado financeiro, fechou o dia praticamente estável, com ligeira valorização de 0,03% sobre o real, cotado em R$ 2,660 na venda

iG Minas Gerais | Folhapress |

O principal índice da Bolsa brasileira fechou esta segunda-feira (22) em alta, acompanhando o clima positivo nos principais mercados internacionais. A retomada das ações do setor financeiro durante a tarde e o avanço das ações da Petrobras ajudaram a sustentar o Ibovespa no azul.

A valorização do índice foi de 0,95%, para 50.120 pontos -retomando os 50 mil pontos, patamar que não atingia há quase duas semanas. O volume financeiro foi fraco, de R$ 4,541 bilhões. A média diária em 2014 é de R$ 7,357 bilhões. Em dezembro, de R$ 9,023 bilhões.

"A agenda de indicadores econômicos foi bem fraca no dia. Estamos nas vésperas de Natal, o que tende a reduzir a quantidade de negócios", disse João Pedro Brügger, da Leme Investimentos. "A elevação da TJLP [taxa de juros de longo prazo] na última sexta-feira pode indicar um comprometimento do governo com medidas mais duras, o que é bem avaliado pelo mercado", acrescentou.

Para Brügger, a Bolsa deve caminhar de lado até o fim de ano, com volume fraco. O principal foco dos investidores, afirmou, se mantém nas medidas que deverão ser anunciadas em breve pela nova equipe econômica do governo.

As ações da Petrobras tiveram um dia de ajuste, fechando em alta após fortes quedas recentes. O noticiário para a companhia, de acordo com analistas, segue negativo. A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta segunda Graça Foster, que comanda a estatal em meio a escândalos de corrupção dentro da companhia. Os preços do petróleo no exterior também voltaram a cair neste pregão.

Os papéis preferenciais da petroleira, sem direito a voto, subiram 4,98%, para R$ 10,32 cada um. Já os ordinários, com direito a voto, também avançaram 4,98%, para R$ 9,91. Ambos continuam com queda bem expressiva no mês, apesar do ganho nesta sessão.

O setor financeiro, que oscilou boa parte do dia no vermelho, se recuperou durante a tarde e ajudou a Bolsa a fechar no azul. As ações do Itaú Unibanco subiram 0,69%, para R$ 35,04 cada uma, enquanto o Bradesco teve ganho de 0,84%, para R$ 35,90. Já o Banco do Brasil teve valorização de 0,90%, para R$ 24,57. Esse é o segmento com maior peso dentro do Ibovespa.

Em sentido oposto, os papéis da JBS lideraram com folga a ponta negativa do Ibovespa, com perda de 8,67%, para R$ 11,16. Reportagem do jornal "Valor Econômico" publicada nesta segunda afirmou que a empresa creditou R$ 800 mil em duas contas correntes de uma empresa fantasma investigada pela operação Lava Jato da Polícia Federal.

Câmbio

No câmbio, o dólar à vista, referência no mercado financeiro, fechou o dia praticamente estável, com ligeira valorização de 0,03% sobre o real, cotado em R$ 2,660 na venda. Já o dólar comercial, usado no comércio exterior, avançou 0,18%, para R$ 2,662.

Nesta quinta (18), o BC fez seu leilão diário de 4.000 contratos de swap cambial (operação que equivale a uma venda futura de dólares), pelo total de US$ 195,8 milhões.

A autoridade também promoveu um novo leilão para rolar os vencimentos de 10.000 contratos de swap previstos para 2 de janeiro de 2015, por US$ 498,2 milhões.

Houve pela tarde um reforço de um leilão de linha de crédito de US$ 2 bilhões para injetar recursos novos no mercado. É uma operação em que o BC vende a moeda estrangeira, mas com a obrigação, por parte de quem toma o empréstimo, de devolver o dinheiro após um determinado período. Os empréstimos desse tipo têm sido utilizados pelo BC para atender a uma demanda de fim de ano por dólares, principalmente de exportadores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave