Domínio do Bayern e falta de emoção ameaçam interesse pela Bundesliga

Ex-técnico alemão propôs que líder do campeonato nacional receba menos dinheiro dos direitos de televisão como solução para a situação

iG Minas Gerais | AFP |

Bayern de Munique conquista a Copa da Alemanha após final emocionante com o Borussia
PÁGINA OFICIAL/FACEBOOK/DIVULGAÇÃO
Bayern de Munique conquista a Copa da Alemanha após final emocionante com o Borussia

Com 11 pontos de vantagem na liderança do Campeonato Alemão ao fim do primeiro turno, o Bayern de Munique domina os adversários nacionais com tanta facilidade que os críticos buscam métodos para relançar uma competição ameaçada pela falta de emoção.

A equipe comandada pelo espanhol Pep Guardiola passeia sem dificuldades pela Bundesliga e parece capaz de tornar-se o primeiro time a vencer a competição nacional sem sofrer uma derrota sequer, no que seria o terceiro título alemão seguido do clube.

Na sexta-feira, contra o Mainz (vitória por 2-1), o Bayern quebrou novos recordes. Ao fim da primeira metade da temporada, sofreu apenas quatro gols, número que fez da defesa do time a melhor da história da Bundesliga a esta altura do campeonato.

Os bávaros totalizam 45 pontos ganhos em 17 rodadas -quase a pontuação perfeita (51)-, outro recorde, e encadeiam goleadas com uma regularidade quase monótona.

Nenhum dos perseguidores (Wolfsburg, Borussia Monchengladbach, Bayer Leverkusen ou Schalke) parece capaz de competir pelo título, enquanto o atual vice-campeão alemão, o Borussia Dortmund, vive, desde o início da temporada, entrando e saindo da zona de rebaixamento, terminando o ano de 2014 em penúltimo lugar.

Frente à ameaça de um campeonato sem emoção, já que todo mundo sabe quem será o campeão com mais de cinco meses para o fim da competição, o ex-técnico alemão Berti Vogts foi o primeiro a lançar uma solução, propondo que o Bayern receba menos dinheiro dos direitos de televisão.

Atualmente, a Sky paga 628 milhões de euros para transmitir os jogos da Bundesliga e esse dinheiro é repartido entre os clubes, com o campeão recebendo uma porcentagem maior.

"É preciso subvencionar os clubes menores, com uma distribuição mais justa do dinheiro dos direitos televisivos, por exemplo", propôs Vogts.

"Nós (o Bayern) não podemos fazer nada diante da incapacidade dos outros clubes. Seria um absurdo sermos prejudicados para que o dinheiro seja redistribuído", respondeu um indignado Paul Breitner, ex-meia da equipe bávara.

O Bayern é um dos clubes mais ricos do mundo. Na temporada 2013-14, registrou um novo recorde de faturamento no valor de 528,7 milhões de euros, conseguindo pagar o empréstimo para a construção da Allianz Arena quase 16 anos antes do previsto.

"Em outro campeonato" 

Tirar pontos do Bayern parece mais uma esperança que um objetivo real para os outros clubes da Bundesliga. "O Bayern joga um outro campeonato, acredito que todos sabemos disso", declarou o técnico do Augsburg, Markus Weinzierl, derrotado por 4 a 0 pelo time de Munique no primeiro turno.

Após sofrer o mesmo castigo em Munique, o técnico do Hoffenheim, Markus Gisdol, concordou. "Mais cedo ou mais tarde, o Bayern vai perder em casa, mas o normal é você perder por 4, 5 ou 6 gols quando você joga de visitante contra eles", lamentou.

Campeão em 2011 e 2012, antes de ser vice em 2013 e 2014, o Borussia Dortmund, considerado no início da temporada como principal concorrente do Bayern na briga pelo título, convive atualmente na parte de baixo da tabela e, surpreendentemente, tenta escapar do rebaixamento.

Desde meados de 2013, o técnico Jurgen Klopp, que viu dois de seus melhores jogadores, Mario Götze e o polonês Robert Lewandowski, fazerem as malas rumo a Munique, vem alertando que isso aconteceria.

"É muito engraçado que nos coloquem no mesma categoria que o Bayern", dizia, quando sua equipe era a segunda colocada na Bundesliga, a 20 pontos dos bávaros, e se preparava para enfrentar o rival na final da Liga dos campeões, em 2013.

Quando perguntado se havia semelhanças entre os campeonatos alemão e espanhol, dominado por Real Madrid e Barcelona quase que com exclusividade a cada temporada, Klopp nem titubeou ao responder que "no início da próxima temporada, nos daremos conta que a comparação correta não é com a Espanha, e sim com a Escócia".

No país britânico, o Celtic venceu os últimos três campeonatos nacionais com extrema facilidade, desde que o arquirrival Rangers declarou falência e foi rebaixado à quarta divisão escocesa.

O domínio do Bayern é tão grande na Alemanha que até o líder da artilharia da Bundesliga, o atacante Alexander Meier, do Eintracht Frankfurt, não acredita ser possível manter o posto por muito tempo.

"Nem olho para a tabela de artilharia. Sinceramente, acho que, no fim, vai acabar vencendo um jogador do Bayern", lamentou.

Leia tudo sobre: dominiobayern de muniquedesinteressealemaobundesligafutebolcampeonato