Papa diz que a Cúria sofre de 'Alzheimer espiritual'

Francisco afirmou que, "como qualquer corpo humano", a Cúria sofre de "infidelidades ao Evangelho" e de "doenças que precisa aprender a curar"

iG Minas Gerais | AFP |

O papa Francisco elaborou nesta segunda-feira (22) uma lista de doenças que ameaçam a Cúria, entre elas o que chamou de "alzheimer espiritual", em um discurso de uma severidade sem precedentes, no qual condenou a as rivalidades, as calúnias e as intrigas.

Em seu discurso anual aos membros do governo da Igreja, o Papa afirmou que, "como qualquer corpo humano", a Cúria sofre de "infidelidades ao Evangelho" e de "doenças que precisa aprender a curar".

Depois anunciou que vai divulgar "um catálogo" das doenças e necessidade para que a Cúria "seja cada vez mais harmoniosa e unida".

O Papa citou 15 doenças, usando expressões fortes como, além de "alzheimer espiritual", "terrorismo do falatório", "esquizofrenia existencial", "exibicionismo mundano", "narcisismo falso" e "rivalidades pela glória".

"A cura é o fruto da tomada de consciência da doença", concluiu o Papa, pedindo que os bispos e cardeais se permitam que o Espírito Santo inspire suas ações, invés de confiar apenas em suas capacidades intelectuais.

"Os padres são como aviões. Estão na primeira página quando caem", acrescentou.

Depois deste discurso, recebido como uma ducha fria, Francisco saudou um a um todos os cardeais, em um ambiente tenso, apesar das amabilidades de fachada.