Obama estuda incluir Pyongyang na lista de Estados que apoiam o terror

Washington acusa Pyongyang pelo ataque cibernético contra a Sony Pictures, que obrigou a empresa a cancelar a estreia do filme "A Entrevista"

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

O governo dos Estados Unidos examinará a possibilidade de incluir a Coreia do Norte na lista de Estados que apoiam o terrorismo, em meio à polêmica pelo ciberataque contra a Sony Pictures, pelo qual Washington responsabiliza Pyongyang, afirmou o presidente Barack Obama em uma entrevista.

"Vamos revisar isto com um processo que já está em curso", disse o presidente no programa "State of the Union" do canal CNN. "Nossos critérios para dizer que um Estado apoia o terrorismo são muito claros. Não fazemos julgamentos apenas com base nas notícias diárias. Nós revisamos sistematicamente os acontecimentos e, baseados em fatos, nós vamos adotar as determinações no futuro", explicou.

Washington acusa Pyongyang pelo ataque cibernético contra a Sony Pictures, que obrigou a empresa a cancelar a estreia do filme "A Entrevista", uma paródia sobre um complô da CIA para matar o dirigente da Coreia do Norte, Kim Jong-Un.

As declarações de Obama, gravadas na sexta-feira, foram divulgadas depois que um senador pediu uma reconsideração do status da Coreia do Norte, que foi retirada da lista em 2008, na qual permanecem incluídos Irã, Sudão, Síria e Cuba. Após a histórica aproximação entre Washington e Havana anunciada na quarta-feira, Obama pediu ao Departamento de Estado que retire Cuba da lista.

 

Leia tudo sobre: ataquehackersonycoreia do norteestados unidosobamacrimeguerracibernéticovandalismo