“O Quebra-Nozes” prenuncia tempo de festividades natalinas

Cia. de Balé do Sesiminas se apresenta com grupos vindos de 14 cidades do interior de Minas Gerais

iG Minas Gerais | gustavo rocha |


Obra se inspira em Alexandre Dumas e tem música de Tchaikovsky
CLÁUDIA FIGUEIREDO DIVULGAÇÃO
Obra se inspira em Alexandre Dumas e tem música de Tchaikovsky

Com a chegada das festividades de fim de ano, alguns temas, imagens e músicas ficam recorrentes (quase batidos). É o caso do balé “O Quebra-Nozes”, fábula natalina que pulula em casas de espetáculos do Oiapoque ao Chuí. A montagem do balé do Sesiminas, no entanto, promete surpreender o público por uma característica única: a união de gente provida de várias partes do Estado no mesmo palco. “É um clássico de repertório que segue uma estrutura que você pode ver aqui, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, ou em Londres, mas a diferença de nosso trabalho é que vamos colocar no mesmo palco 100 pessoas, que nunca dançaram juntas”, exalta Cristina Helene, coreógrafa e diretora da companhia. “Geralmente, quando se vê tanta gente dançando junta, de várias partes, ou é uma competição de dança ou uma temática abstrata”, completa.

Encenado em dois atos, o balé, com música de Tchaikovsky, conta a fantasia de Clara, uma menina que, na noite de Natal, ganha muitos presentes, mas se encanta de maneira especial por um deles: um boneco quebra-nozes. Quando todos vão dormir, Clara vai à sala para brincar com o novo presente, adormece e entra no mundo da fantasia. Nesse universo de imaginação, a garota vê o boneco transformar-se em um príncipe e, na viagem que fazem, são homenageados com danças típicas.

Outro aspecto destacado da montagem de “O Quebra-Nozes” é a possibilidade de se ter bailarinos de várias idades e níveis em ação. Tal encontro tem uma forte característica pedagógica, porque os pequenos podem projetar seu olhar até um provável futuro relacionado à dança. “Nós temos primeiros bailarinos de peso. O José Antonio, por exemplo, era primeiro bailarino do balé de Havana. Os mais jovens ficam admirados com eles, fazem questão de tirar fotos”, sinaliza Cristina.

Premida pelo otimismo de unificação da dança de todo o Estado, a coreógrafa relembra seus tempos de bailarina e a relação de afeto com “O Quebra-Nozes”. “É uma maneira de finalizar o ano, de dizer que o Natal está chegando. Eu sempre fico muito feliz e emocionada nessa época”, finaliza.

Agenda

O quê. “O Quebra-Nozes”

Quando. Hoje, às 20h30

Onde. Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia)

Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave