Pedido de Natal

iG Minas Gerais |

acir galvao
undefined

Querido Papai Noel, esta é uma carta diferente de todas as outras que o senhor está acostumado a receber. Diferente porque lhe escrevo não para pedir presentes e, sim, para fazer uma reclamação. Eu moro no Brasil. Sei que não deve se lembrar direito onde fica isso e ter apenas uma vaga noção de que tem alguma coisa a ver com futebol e Carnaval... Pois é aqui mesmo. Brasil. Com S. País localizado na América do Sul. Somos vizinhos de Colômbia, Bolívia, Paraguai, Suriname, Uruguai, Peru... Pois, então, agora que o senhor já se situou, posso contar o motivo da minha carta. Eu acho que nós – os habitantes da América do Sul – somos prejudicados com essa história de morar do lado de baixo do Equador, por vários motivos. Em primeiro lugar está o NATAL, e é essa a razão de eu ter recorrido ao senhor, afinal, não consigo pensar em alguém mais especialista em Natal e que, por isso mesmo, com certeza irá concordar comigo: quer coisa mais sem graça do que Natal em pleno verão? Nada a ver! Aquele calorão, e a gente comendo peru, nozes, pernil, tomando vinho, enchendo a casa de pinheirinhos e luzinhas... Essas coisas, definitivamente, não combinam com o calor! Em segundo lugar vem exatamente o VERÃO. Quer época mais ingrata para ser verão do que o fim do ano? Nesta época todo mundo já está cansado. Comemos o ano inteiro, então estamos fora de forma. E aí, cansados, temos que fechar a boca e cair na malhação! E, ainda por cima, acontece essa grande quantidade de festas de fim de ano, cestas de Natal, amigos-ocultos... e engordamos exatamente quando deveríamos emagrecer por causa da praia a que geralmente vamos em janeiro. E, por último, mas não menos importante... nós não temos NEVE! Neve é muito melhor do que chuva! Eu amo chuva, então calcule o quanto eu gosto de neve. O senhor, que mora no polo Norte, cercado de neve por todos os lados, consegue se ver sem ela? Pois imagine que aqui temos pessoas que nascem, crescem e morrem sem nunca terem tido a chance de tocar em um mísero floco de neve! Como pode comprovar, fomos mesmo muito prejudicados! O que sugiro é que o senhor dê um jeito de convencer todo o mundo a comemorar o Natal no meio do ano, que é quando aqui faz o tal frio adequado ao “espírito de Natal”, e também quando ainda temos seis meses pela frente para queimar as calorias ganhas com as festas natalinas. Outra opção seria um revezamento de polos. Os moradores lá de cima descem, e a gente sobe. Aí, no outro ano, trocamos de novo, para que ninguém se sinta prejudicado. Papai Noel, sei que o senhor é muito compreensivo e que vai atender o meu pedido. Em troca, nem precisa trazer o meu presente deste ano, essa inversão já me trará alegria suficiente. Já vou começar a fazer as minhas malas e aguardo apenas a sua confirmação para marcar a minha passagem. Desde já, muito obrigada! E um feliz Natal pro senhor também!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave