Confins registra movimento grande e reclamação de preços

Alvo de queixas dos consumidores foi o valor do lanche; apesar do fluxo, não houve incidentes

iG Minas Gerais | Ludmila Pizarro |

Jorge Sierakowski e a família reclamaram da falta de ar-condicionado
Uarlen Valério
Jorge Sierakowski e a família reclamaram da falta de ar-condicionado

O movimento foi grande ontem no Aeroporto Internacional Trancredo Neves (Confins), um dos dias mais cheios do ano, segundo a concessionária BH Airport. O fato de muita gente esticar o feriado de Natal explica o fluxo. Na hora do check-in, quando o passageiro enfrentava alguma fila, a espera era de até 40 minutos. “Fizemos o check-in no auto-atendimento e depois despachamos as malas. O processo ficou em pouco mais de meia hora”, avaliou Jorge Sierakowisk,47, que seguia para Natal de férias.  

Em nota, a BH Airport afirmou que “o movimento de sexta-feira (ontem) no aeroporto estava intenso, como previsto, mas sem qualquer impacto operacional”. Mas muitos usuários tinham motivos para reclamar. Os preços altos e a falta de opção de alimentos ainda são citados por eles como ponto negativo. “Falta uma praça de alimentação completa. Tivemos que sair procurando e depois de rodar optamos pelo “Subway”, que foi o que achamos melhorzinho”, afirmou a estudante Camila Borges Correia, 19, que chegava a Belo Horizonte para passar o fim de ano.

“Acredito que ainda falta muita coisa ficar pronta. Mas já está melhor do que antes da reforma e na Copa também estava pior”, opinou o engenheiro de operações João Marcos Couto.

O preço dos alimentos no aeroporto continua sendo considerado alto. “O preço da alimentação no aeroporto é abusivo”, reclamou Jorge Sierakowiski.

Segundo a concessionária, medidas foram tomadas para evitar ‘gargalos’ em dias de mais movimento, como aumento do efetivo, áreas de transferência dentro da sala de embarque para informar sobre voos cancelados e atrasados e o funcionamento de um centro operacional (Apoc, na sigla em inglês). “O Apoc conta com a participação de companhias aéreas e outros órgãos envolvidos no sistema para o tratamento ágil e eficaz das operações”, diz a empresa via assessoria de imprensa.

Ontem também foram observados muito poucos voos atrasados ou cancelados durante todo o dia. Um operador de companhia aérea que não quis se identificar afirmou que o bom tempo foi importante para que a logística funcionasse. “O fluxo está intenso, creio que temos mais passageiros do que no ano passado, mas parece que a quantidade é menor porque está fluindo”, disse.

Falta de ar-condicionado irrita A temperatura foi uma das reclamações dos passageiros que passaram pelo aeroporto de Confins ontem. “Está muito quente e não tem refrigeração na área externa, o que é um absurdo”, reclamou o passageiro Jorge Sierakowiski. A concessionária BH Airport informou, via assessoria de imprensa, que o projeto arquitetônico do aeroporto, que é aberto, não permite a colocação de ar-condicionado, mas que as salas de embarque e desembarque são climatizadas. Ainda segundo a concessionária, esse estudo ainda não foi realizado, mas pode entrar em melhorias futuras do aeroporto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave