Terra de cegos

iG Minas Gerais | Paulo Navarro |

Clube do Bolinha: Rubens Menin, o anfitrião Humberto “Primus Turismo” Vieira – que promove tradicional almoço de fim de ano em sua casa do Vale dos Cristais –, Paulo Navarro, Ricardo Guimarães e Saulo Wanderley
Leca Novo/divulgação
Clube do Bolinha: Rubens Menin, o anfitrião Humberto “Primus Turismo” Vieira – que promove tradicional almoço de fim de ano em sua casa do Vale dos Cristais –, Paulo Navarro, Ricardo Guimarães e Saulo Wanderley

Já comentamos aqui o péssimo atendimento no comércio de BH: funcionários desatentos, dispersos ao celular ou em conversa fiada com colegas etc. Em época de compras de Natal, pior ainda. Pois bem, dia desses, em entrevista à Lilian Pacce, no GNT, Gisele Bündchen falava que, há 20 anos como modelo, seu segundo lar era o avião.   Terra dos surdos   Indagada sobre o melhor jeito de voar, a musa disse que pensava nos filhos. Desta vez, viajando sem os pequenos, pôde ler um livro acerca do budismo e filosofia da meditação. Mais precisamente, sobre “como levar a clareza do momento da meditação para qualquer outro da sua vida, se percebendo com consciência. Normalmente, não notamos o que estamos fazendo, nem o porquê”, explicou Gisele.   Terra de mudos   A modelo se referia à prática chamada “Mindfulness” (atenção plena), que atrai cada vez mais interesse no Brasil. Mais do que uma técnica para viver o momento presente, é “A” base de uma vida consciente, usando plenamente nossos recursos – a inteligência do corpo, a intuição, a reflexão, as aprendizagens do passado – para tomar decisões mais sábias e compassivas.   Terra de zumbis   Este método seria uma maravilha não só para os atendentes “cabeças de vento”, mas em diversas situações do dia a dia: para quem interrompe, sem pedir licença, o processo de comunicação a dois (sobretudo no trabalho) ou o desenvolvimento do raciocínio durante a escrita; para evitar a dispersão no Facebook, quando se deveria estar concentrado no serviço, diálogos que não fluem, frases não completadas...   Terra de autômatos   A falta de foco rola até em para papo entre amigos. Lembramos Danuza Leão: “Não sento em mesa com mais de quatro pessoas porque não dá pra conversar. Com cinco, dois assuntos se cruzam, e se é pra ter dois assuntos, eu prefiro ficar em casa vendo TV”.   Planeta dos Macacos   Às vésperas do fechamento da 20ª edição da Casa Cor Minas, encerrada dia 16, visitantes congestionaram a estrada de Macacos, no último domingo. No restaurante Gaya, o gente boa e procurador Castellar Guimarães e Renata conferiam a cozinha do chef Felipe Rameh.   Planeta verde   Castellar, cujo pai de mesmo nome foi deputado e colega de legislatura do pai do titular da coluna, João Navarro, vive em Macacos há 40 anos. Ampliou a vivenda herdada e hoje, ao lado dos filhos Gabriela e Castellar Neto – que também carrega nas veias o brilhantismo para o Direito –, curte a natureza e o trabalho em prol da educação e cultura de jovens da região, através do Instituto Kairós, presidido por ele.   Século 22   Finalmente, a América do Sul – ou melhor, o Brasil – vai abrigar um projeto da badalada arquiteta iraquiana Zaha Hadid, primeira mulher a receber o prêmio Pritzker, maior honraria da arquitetura. O dono do empreendimento é o “mineiroca” (nasceu em Leopoldina, mas vive no Rio de Janeiro) Omar “Catito” Peres, que deu total liberdade de criação a Hadid.   Século 23   Batizado de “Residencial Casa Atlântica”, o edifício ficará na Avenida Atlântica (próximo à rua Santa Clara), em Copacabana. Detalhe: será o primeiro da avenida construído no centro do terreno, ou seja, não será colado aos outros prédios; e terá 11 andares e piscina na cobertura. As obras começam em março, com presença da arquiteta. Conhecemos muito bem a história. Passamos lá o Réveillon deste ano, no terreno “fantasiado” de praia.   LANÇA-PERFUME   Após sua prestigiada posse como desembargador no TJMG, dia 15, José Arthur de Carvalho Pereira Filho, ao lado de sua Maria Fernanda Pires, recebeu convidados para coquetel no salão de festas do belo Edifício Lolita Guimarães, no Belvedere.   O Camarote da Brahma, na Marquês de Sapucaí, dançou. Será substituído por um da Antarctica, que em 2015 completa 130 anos e é a cerveja mais vendida no Estado do Rio. Mas, como tudo no Brasil, nada é definitivo.   O PIC retoma a campanha de incentivo ao uso de táxis – “É chic ter chauffeur”, lançada em 2010, junto com o conceito “all inclusive” (comida e bebida liberadas) nos seus principais eventos. É mais conforto e segurança para os participantes.   No último Réveillon do PIC, cerca de 50% dos convidados utilizaram táxis para ir e voltar da festa. O presidente do clube, Antonio Eustáquio da Rocha Soares, espera que o número continue crescendo.   Que alegria! Nesta semana, entregamos às crianças da ONG O Proação os brinquedos doados pelos convidados da festa de 25 anos da Paulo Navarro Comunicação. Feliz Natal para todos nós e até o ano que vem!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave