Mensagens de fé em canções

iG Minas Gerais | Bárbara França |

Rosa de Saron é um dos maiores nomes da música religiosa no Brasil
RODOLFO MAGALHÃES/DIVULGAÇÃO
Rosa de Saron é um dos maiores nomes da música religiosa no Brasil

A música que dá nome ao último disco da Rosa de Saron faz uma provocação: “se Deus te desse só o amanhã pra sentir o que nunca sentiu, sentiria? Qual seria sua última oração?”. Em tom um tanto desafiador, a letra de “Cartas ao Remetente”, música que dá nome ao recente disco da banda de rock cristão lançado pela Som Livre, é um questionamento para si mesmo ou, como define o baixista Rogério Feltrin, “é um desabafo!”. 

A canção fala sobre alguém que pensou em desistir de tudo, mas preferiu fazer algo melhor e resolveu compor. Lidando com fé, velhice, paternidade e vários outros temas de cunho pessoal, o músico considera este talvez o disco mais existencial da banda e são essas canções recém-saídas do forno que o Rosa de Saron apresenta neste sábado (20), no Chevrolet Hall, em show que privilegia o lançamento, mas não deixa de lado as canções conhecidas do público.   Para quem não sabe de onde vem o nome da banda, Rogério explica: “O nome é tirado do livro de Cântico dos Cânticos, do Antigo Testamento. Saron é uma região de deserto, logo uma flor que nasce no deserto é uma metáfora da vida que vence a morte, que supera as adversidades. Achamos que o nome tinha a ver com a proposta do trabalho e o adotamos para a banda”   Papel social Após a apresentação na capital, eles correm para sua terra natal, Campinas, no interior de São Paulo, para realizar um show beneficente, que vai destinar toda a renda a uma instituição que realiza trabalho socioeducativo com crianças carentes. “Para nós, música é mensagem, mas também tem um papel social. Já realizamos iniciativas isoladas, mas queremos torná-las permanentes, como um braço da banda. Queremos fazer algo que, além do entretenimento e da diversão, possa fazer as pessoas se engajarem de forma mais concreta. Sentíamos falta disso no nosso trabalho”.    Expandir as atuação da fé por meio da música, aliás, é algo que Feltrin também valoriza no papa Francisco, que convidou a “poetisa do punk” Patti Smith, 67, para participar do concerto de Natal do Vaticano que foi realizado no último dia 13. “Acho que ele está tentando mostrar que a Igreja é pra todo mundo, que ela está sempre de portas abertas”, acredita o baixista.   Rosa de Saron No show “Cartas ao Remetente” Chevrolet Hall (av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, 4003-5588). Neste sábado (20), às 23h. R$ 74 (inteira, 3º lote).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave