Medina dá show, se classifica para as quartas e elimina lenda Slater

Brasileiro pegou dois belos tubos e tirou a chance de título do americano; caso Mick Fanning não se classifique, paulista fica com o caneco

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

USA - PIPE MASTERS / WCT / SURFE - ESPORTES - Gabriel Medina durante o 3 round na praia de Pepiline no décimo primeiro dos 13 dias de janela para a disputa, do Billabong Pipe Masters, última etapa do Circuito Mundial de Surfe, na Praia de Pipeline, na ilha de Oahu, no Havaí. 14/12/2014 - Foto: THIAGO BERNARDES/FRAME/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO
ESTADÃO CONTEÚDO
USA - PIPE MASTERS / WCT / SURFE - ESPORTES - Gabriel Medina durante o 3 round na praia de Pepiline no décimo primeiro dos 13 dias de janela para a disputa, do Billabong Pipe Masters, última etapa do Circuito Mundial de Surfe, na Praia de Pipeline, na ilha de Oahu, no Havaí. 14/12/2014 - Foto: THIAGO BERNARDES/FRAME/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO

O surfista brasileiro Gabriel Medina segue cada vez mais próximo do título mundial. Com uma grande atuação, o paulista se classificou para as quartas de final do Mundial de Surfe, nesta sexta-feira, em Pipeline, no Havaí e, de quebra, eliminou a lenda e 11 vezes campeão do mundo Kelly Slater. Ele pegou duas ótimas ondas, somou 17,66 e bateu o havaiano Dusty Pane, que terminou com 11,84.

Agora, o brasileiro luta apenas com Mick Fanning pelo título. Caso o australiano não se classifique para as quartas de final, Medina será o campeão mundial de 2014. Se Fanning seguir na disputa, o brasileiro precisa chegar na final para não depender do resultado do rival.

Na bateria de 30 minutos, Pane pegou um tubo logo no início, somando 4,67. O líder do ranking esperava a melhor oportunidade para iniciar a sua performance. E na primeira que apareceu, ele mostrou toda a sua qualidade. Ele pegou um belo tubo e somou 8,83.

O brasileiro pegou outro tubo logo em seguida, ganhou 5,83 e chegou aos 14,66. Pane consegui pegar uma boa onda, fez 7,17 e encostou em Medina, somando 11,84. Para evitar qualquer surpresa desagradável no fim da bateria, o paulista pegou um tubaço, repetiu a nota 8,83 (eliminando a menor nota) e garantiu a sua classificação.  

Leia tudo sobre: MundialsurfeGabriel Medinaclassificadoquartas de finaleliminacaoKelly Slatershow